Bolsonaro diz que vai conversar com caminhoneiros nesta quinta

Categoria bloqueia 15 estradas do país. Presidente enviou áudio na noite de quarta-feira (8/9) pedindo liberação das rodovias

atualizado 09/09/2021 8:45

O presidente Jair Bolsonaro cumprimenta apoiadores no Palácio da AlvoradaRafaela Felicciano/Metrópoles

Ao deixar o Palácio da Alvorada na manhã desta quinta-feira (9/9), o presidente Jair Bolsonaro (sem partido) anunciou que vai conversar com caminhoneiros para “tomar uma decisão”. A categoria bloqueia 15 estradas do país, segundo o Ministério da Infraestrutura.

O próprio Bolsonaro gravou áudio, na noite dessa quarta-feira (8/9), pedindo aos caminhoneiros para liberarem as estradas do país.

“[Saindo] mais cedo hoje, eu tenho uma hora da manhã que vou estar com o tempo tomado com o pessoal dos Brics, uma hora. Então, mais cedo também, nesses dois intervalos, né, vou conversar com os caminhoneiros pra gente tomar uma decisão, tá ok?”, afirmou ele, segundo vídeo divulgado por um assessor.

Entre 9h e 10h30, Bolsonaro participa, por videoconferência, da XIII Cúpula do Brics, bloco formado por Brasil, Rússia, Índia, China e África do Sul. A participação será do Palácio do Planalto.

Com base em informações da Polícia Rodoviária Federal (PRF), o Ministério da Infraestrutura divulgou boletim às 8h30 para informar que são registrados pontos de concentração em rodovias federais de 15 estados, com 10% de redução de ocorrência desde o último boletim da madrugada.

São estes: Santa Catarina, Rio Grande do Sul, Paraná, Espírito Santo, Mato Grosso, Goiás, Bahia, Minas Gerais, Tocantins, Rio de Janeiro, Rondônia, Maranhão, Roraima, Pernambuco e Pará.

Em áudio na noite de quarta-feira, Bolsonaro apelou pelo desbloqueio das rodovias, alegando que eles atrapalham a economia e prejudicam, em especial, os mais pobres.

“Fala para os caminhoneiros aí, que são nossos aliados, mas esses bloqueios atrapalham a nossa economia. Isso provoca desabastecimento, inflação e prejudica todo mundo, em especial, os mais pobres”, falou.

“Então, dá um toque nos caras aí, se for possível, para liberar, tá ok? Para a gente seguir a normalidade. Deixa com a gente em Brasília aqui e agora. Mas não é fácil negociar e conversar por aqui com autoridades. Não é fácil. Mas a gente vai fazer a nossa parte aqui e vamos buscar uma solução para isso, tá ok? E aproveita, em meu nome, dá um abraço em todos os caminhoneiros. Valeu”, continuou.

Além disso, a Esplanada dos Ministérios, em Brasília, segue ocupada por apoiadores do presidente, que se manifestaram no último 7 de Setembro. O trânsito de veículos está interrompido desde a noite de segunda-feira (6/9).

Bloqueio nas estradas

Na noite dessa quarta-feira, chegou a 16 o número de estados que registram bloqueios ou tentativas de paralisação em rodovias federais, subindo o nível de alerta de transportadoras e mercados. Alguns postos já começaram a ficar sem combustíveis.

O movimento é organizado por caminhoneiros autônomos, um dia após manifestantes pró-governo pedirem, dentre outras pautas, o fechamento do Supremo Tribunal Federal (STF) e do Congresso Nacional, em diversos atos pelo país. Além desses temas, os motoristas que aderiram à paralisação cobram a redução dos impostos e do preço dos combustíveis.

0

Últimas notícias