Bolsonaro diz que “não tem como comprovar se eleições foram fraudadas”

O presidente convocou a imprensa para apresentar "provas de fraude eleitoral" em 2014 e 2018, mas acabou se contradizendo no discurso

atualizado 29/07/2021 21:37

Reprodução

Após mais de 40 minutos de discurso, sem apresentar provas concretas de fraude eleitoral e com ataques ao Tribunal Superior Eleitoral (TSE), o presidente da República, Jair Bolsonaro (sem partido), afirmou que “não tem como se comprovar que as eleições não foram ou foram fraudadas”. O chefe do Executivo federal convocou a imprensa, nesta quinta-feira (29/7), com a promessa de apresentar irregularidades nos pleitos de 2014 e 2018.

No início da live, Bolsonaro fez acusações contra o presidente do TSE, ministro Luís Roberto Barroso. Segundo ele, “mente” quem afirma que a implementação do voto impresso é um retrocesso.

“É justo quem tirou Lula da cadeia e o tornou elegível ser o mesmo que vai contar o voto numa sala secreta no TSE? Quero eleições no ano que vem, vamos disputar eleições no Brasil no ano que vem, mas eleições limpas”, falou.

O presidente ainda rebateu a determinação para que apresente provas de fraude: “Os que me acusam de não apresentar provas eu devolvo a acusação, apresente prova de que não é fraudável”.

Bolsonaro convocou integrantes do primeiro escalão do governo, como o ministro Anderson Torres, da Justiça, para apresentar as informações ao vivo na transmissão pelas redes sociais e também para um grupo de jornalistas credenciados pelo Palácio do Planalto.

A apresentação das provas já foi cobrada até pelo Tribunal Superior Eleitoral (TSE), que deu até a próxima segunda-feira (2/8) para entregá-las ao órgão.

Últimas notícias