Bolsonaro deixa Argentina e fala em moeda única na América do Sul

Presidente cumpriu agenda de um dia em Buenos Aires, onde se encontrou com o mandatário do país, Mauricio Macri, e empresários

atualizado 07/06/2019 9:37

Marcos Corrêa/Presidência da República

Enviada especial a Buenos Aires – Por volta das 6h da manhã desta sexta-feira (07/06/2019), o presidente da República, Jair Bolsonaro (PSL), deixou o hotel onde estava hospedado, em Buenos Aires, capital da Argentina. O chefe do Executivo brasileiro segue agora para o Rio de Janeiro, depois de reuniões com o mandatário do vizinho, Mauricio Macri, empresários e demais autoridades argentinas.

Na saída, Bolsonaro comentou a possibilidade de uma moeda única a ser instalada entre os países da América do Sul. “Esse foi o primeiro passo para o sonho de uma moeda única. Como aconteceu o euro lá atrás, pode acontecer o peso real aqui. Meu forte não é economia, mas acreditamos no feeling, na bagagem, no conhecimento e no patriotismo do Paulo Guedes nessa questão também”, afirmou.

Durante reuniões com empresários nessa quinta-feira (06/06/2019), o ministro da Economia, Paulo Guedes, pressupôs a ideia da moeda conjunta entre as nações amigas. O dinheiro seria batizado de peso real. A proposta, no entanto, não tem prazo para entrar em vigor.

O Metrópoles apurou que esse anúncio pegou empresários brasileiros de surpresa. Até o presidente do Banco Central, Roberto Campos Neto, ligou para Guedes preocupado com a possibilidade de se criar o peso real. O ministro, porém, tentou acalmar os ânimos e disse tratar-se apenas de uma ideia inicial.

A visita
Bolsonaro ainda agradeceu o carinho dos argentinos com o governo brasileiro e voltou a pedir voto para o presidente Macri, que disputará a reeleição em outubro. “Muito obrigado ao povo argentino pela maneira gentil com que fui recebido, pela maneira como conversamos, não só com o presidente, mas todo seu escalão. E a mensagem final é Deus os ilumine por ocasião das eleições de outubro”.

Esta é a quinta viagem oficial de Bolsonaro desde que assumiu a presidência. O mandatário brasileiro chegou à Argentina nessa quinta-feira (06/06/2019) pela manhã para se reunir com Macri. Entre os assuntos tratados, estavam o Mercosul e a situação da Venezuela, que enfrenta um grave crise econômica e social sob o regime de Nicolás Maduro.

Antes de deixar o país, Bolsonaro voltou a falar sobre o viés ideológico ao comentar a decisão do Supremo Tribunal Federal (STF), dessa quinta-feira, em liberar a venda do controle acionário de subsidiárias de empresas públicas e sociedades de economia mista, sem o aval do Legislativo ou processo de licitação. “Não deixa de ser um avanço. Meus cumprimentos ao STF, que agiu com patriotismo, contrário à política anterior que havia no Brasil nessas questões econômicas. O viés ideológico para se fazer negócio vai deixando de existir”, avaliou.

Últimas notícias