Bolsonaro comemora golpe militar de 1964: “Dia da liberdade”

Nesta terça-feira, a investida militar contra a democracia completa 56 anos. Presidente celebrou a data na saída do Palácio da Alvorada

atualizado 31/03/2020 13:16

Rafaela Felicciano/Metrópoles

O presidente Jair Bolsonaro (sem partido) lembrou o aniversário do golpe militar de 1964, que deu início à ditadura militar no Brasil (1964-1985).

Na saída do Palácio da Alvorada, o mandatário do país foi saudado por um apoiador que comentou a data.

“Porra, é o dia da liberdade hoje”, respondeu o chefe do Executivo. Nesta terça-feira (31/03), a investida militar contra a democracia completa 56 anos.

No ano passado, a data gerou crise no governo. Bolsonaro pediu que o dia fosse celebrado em quartéis e, com isso, provocou reações em diversos setores da sociedade.

Com a medida, inédita desde a redemocratização, o titular do Planalto orientou os quartéis a comemorarem a “data histórica” e ressaltou a participação das Forças Armadas durante o golpe.

Em 1964, militares derrubaram o governo João Goulart e, em seguida, iniciou-se um regime ditatorial que durou 21 anos, sendo considerado um dos períodos mais obscuros da história brasileira, com saldo estimado em milhares de pessoas mortos por discordarem do governo.

Mourão também comemora
O vice-presidente da República, general Hamilton Mourão, também fez homenagem ao golpe militar de 31 de março de 1964.

O número dois do Palácio do Planalto usou as redes sociais para lembrar a data. “Há 56 anos, as FA [Forças Armadas] intervieram na política nacional para enfrentar a desordem, subversão e corrupção que abalavam as instituições e assustavam a população”, assinalou no Twitter.

Mais lidas
Últimas notícias