Bolsonaro: ceder ao teto de gastos é “rachadura no transatlântico”

Presidente sinalizou que poderia flexibilizar proposta sobre regra que proíbe crescimento das despesas em ritmo superior à inflação

Fotos JP Rodrigues / Metrópoles

atualizado 05/09/2019 9:17

Depois de sinalizar que poderia apoiar a proposta de flexibilizar o teto de gastos — regra que proíbe um crescimento das despesas com ritmo superior à inflação — o presidente Jair Bolsonaro (PSL) afirmou que “ceder ao teto é abrir uma rachadura no casco do transatlântico”.

“Temos que preservar a Emenda do Teto. Devemos, sim, reduzir despesas, combater fraudes e desperdícios. Ceder ao teto é abrir uma rachadura no casco do transatlântico. O Brasil vai dar certo”, disse em conta oficial no Twitter, nesta quinta-feira (05/09/2019).

O presidente ainda parabenizou os ministros “pelo apoio às medidas econômicas do Paulo Guedes”.

Nessa quarta-feira (04/09/2019), Bolsonaro sinalizou que a questão do teto de gastos é “matemática“, mas não deixou claro quais medidas seriam tomadas pelo governo. No mesmo dia, o porta-voz Otávio Rêgo Barros afirmou que uma flexibilização no teto de gastos está em estudo pelo Ministério da Economia.

Últimas notícias