Antes cotado para ministro, Nabhan será secretário de Tereza Cristina

Quando a deputada foi anunciada ministra, no entanto, ele disse que ela representava a "velha política"

atualizado 18/12/2018 14:23

Reproducão

Cotado para assumir o ministério da Agricultura, Pecuária e Desenvolvimento no governo de Jair Bolsonaro (PSL), o presidente da União Democrática Ruralista (UDR) Luiz Antônio Nabhan Garcia – preterido pela futura ministra Tereza Cristina (DEM-MS) – vai assumir uma secretaria especial dentro do ministério. Segundo documento divulgado no início da tarde desta terça-feira (18/12) pela assessoria da pasta, ele comandará a Secretaria Especial de Assuntos Fundiários.

Quando a deputada foi anunciada como ministra, Nabhan criticou esta que será sua futura chefe. À época, ele afirmou em entrevista ao Globo, que o nome de Tereza Cristina mostrava “a força da velha política”. Ele defendia que o ministro fosse escolhido pelos produtores rurais e Tereza foi uma indicação da Frente Parlamentar Agropecuária (FPA), bloco de parlamentares presidido pela próxima ministra da Agricultura.

Luiz Antônio Nabhan Garcia tem formação técnica em zootecnia. Sua secretaria terá como responsabilidade tratar da regularização fundiária, “incluindo as atividades de demarcação de terras indígenas e quilombolas, o licenciamento ambiental e as políticas de reforma agrária”.

Bolsonaro tem dito que pretende reformular a política de demarcação de terras indígenas e quilombolas em seu governo. A ideia é compartilhada por Nabhan Garcia. O futuro secretário já afirmou, inclusive, que é preciso acabar com a “misturança ideológica” na questão ambiental.

Produtor rural, ele acredita que é possível ampliar o espaço de desmatamento legal da Amazônia. Em entrevistas recentes, Nabhan Garcia falou ainda que é preciso por fim ao que ele chamou de “indústria da multa” pelos fiscais do Instituto Brasileiro do Meio Ambiente e dos Recursos Naturais Renováveis (Ibama).

Últimas notícias