Alcolumbre decreta luto de 4 dias por marca de 100 mil mortos por Covid-19

"Hoje é um dos dias mais tristes da nossa história recente", escreveu o presidente do Congresso, neste sábado, em uma rede social

atualizado 08/08/2020 15:17

Daniel Ferreira/Metrópoles

O presidente do Senado Federal Davi Alcolumbre (DEM-AP) decretou, a partir deste sábado (8/8), luto oficial de quatro dias em solidariedade às mais de 100 mil mortes por Covid-19, doença causada pelo novo coronavírus.

O anúncio foi feito no início desta tarde, em uma rede social. “Hoje é um dos dias mais tristes da nossa história recente. O Brasil registra 100 mil vidas perdidas para a Covid-19”, escreveu o senador amapaense.

“O Congresso Nacional decreta luto oficial de 4 dias em solidariedade a todos os brasileiros afetados pela pandemia e às vítimas desta tragédia”, prosseguiu Alcolumbre, que também exerce a presidência do Poder Legislativo.

O Ministério da Saúde contou até a noite dessa sexta-feira (7/8) 99.572 óbitos por Covid-19. A marca de 100 mil mortos foi ultrapassada neste sábado segundo dados das secretarias estaduais levantados pelo consórcio de veículos de imprensa.

Há quase três meses – no dia 9 de maio, também em um sábado – Alcolumbre decretou luto pelas 10 mil mortes por Covid-19 registradas na ocasião. O presidente do Supremo Tribunal Federal (STF) Dias Toffoli acompanhou a medida e também decretou luto no Judiciário.

Naquele mesmo dia, o presidente Jair Bolsonaro (sem partido) apareceu em um jet ski, cumprimentando um grupo que fazia churrasco em uma lancha, conforme vídeo revelado pela coluna Grande Angular, do portal Metrópoles.

Até as 14h20 deste sábado, Bolsonaro não se pronunciou sobre as mais de 100 mil mortes por Covid-19. Uma das últimas declarações dele foi: “A gente lamenta todas as mortes. Vamos tocar a vida. Tocar a vida e buscar uma maneira de se safar desse problema”.

Ao contrário do mandatário da República, o ex-ministro da Justiça e Segurança Pública Sergio Moro disse, neste sábado, que “não podemos nos conformar, nem apenas dizer “E, daí?”. São mais de 100 mil mortos; 100 mil famílias que perderam entes para a Covid. Que a ciência nos aponte caminhos e que a fé nos dê esperança”.

0

 

 

Últimas notícias