Afastamento de militares no governo Lula chega à Vice-Presidência

Em edição extra do DOU, está a dispensa de nove militares. Mudança também segue no GSI, com mais dois afastamentos

atualizado 25/01/2023 7:46

Hugo Barreto/Metrópoles

A “desbolsonarização” de servidores alcançou agora a Vice-Presidência da República. Em edição extra do Diário Oficial da União (DOU), nessa terça-feira (24/1), o chefe de gabinete Pedro Henrique Giocondo Guerra assina a dispensa de nove militares, além de nomeações de civis.

O afastamento de militares de suas funções também segue no Gabinete de Segurança Institucional (GSI), da Presidência da República. São duas dispensas, uma no Departamento de Coordenação de Eventos, Viagens e Cerimonial Militar e outra no Departamento de Gestão, e quatro nomeações.

Segurança palaciana

Até o início desta semana, o governo de Luiz Inácio Lula da Silva (PT) dispensou quase 100 militares de órgãos estratégicos da Presidência da República, como o GSI e o Palácio da Alvorada, residência oficial do presidente.

A maioria dos integrantes do GSI são militares das Forças Armadas, que devem voltar para suas funções. Na Presidência, eles ficam responsáveis pelo esquema de segurança de autoridades e pelo resguardo dos palácios.

O ministro da Casa Civil da Presidência da República, Rui Costa, disse que a troca de assessores comissionados da administração federal — que ficou conhecida como “desbolsonarização” — também vai ocorrer em todos os ministérios, independentemente de serem quadros militares ou civis.

Mais lidas
Últimas notícias