Vazamento é para travar reforma da Previdência, sugere Paulo Guedes

O ministro da Economia participou da reunião do Conselho Federal da Ordem dos Advogados do Brasil (OAB) a convite da entidade

Fabio Rodrigues Pozzebom/Agência BrasilFabio Rodrigues Pozzebom/Agência Brasil

atualizado 11/06/2019 10:27

O ministro da Economia, Paulo Guedes, sugeriu nessa segunda-feira (10/06/2019) que o vazamento de conversas entre o ministro da Justiça, Sergio Moro, quando ainda era juiz federal, e a força-tarefa da Operação Lava Jato foi feito para prejudicar a tramitação da reforma da Previdência. “Não é coincidência que estoura essa bombinha toda hora. Toda hora estoura uma vendo se paralisa a marcha dos eventos”, disse.

Guedes participou da reunião do Conselho Federal da Ordem dos Advogados do Brasil (OAB) a convite da entidade. O compromisso, porém, não constava na agenda do ministro. A presença só foi informada oficialmente perto do fim da palestra.

O economista falava do excesso de gastos do governo e que a Previdência é, hoje, o principal componente dessa despesa. Em seguida, pontuou que os gastos previdenciários são o “grande buraco negro” que ameaça engolir o país – e enfatizou: “Antes de terminar esta palestra”.

Guedes começou então a enumerar episódios que ameaçaram as negociações pela reforma da Previdência, entre eles a divulgação de áudios do então presidente Michel Temer com o empresário Joesley Batista (a partir da qual foram acusados de negociar o silêncio do ex-presidente da Câmara Eduardo Cunha acerca de atos de corrupção) e as denúncias contra “o filho de Bolsonaro” — o ministro não mencionou qual deles.

O primogênito, o senador Flávio Bolsonaro (PSL-RJ), é alvo de investigação após o Conselho de Controle de Atividades Financeiras (Coaf) detectar movimentações suspeitas de recursos na conta de assessores do congressista, na época deputado estadual no Rio de Janeiro.

Em seguida, Guedes cita que “hoje é o do Moro”, referindo-se ao episódio do vazamento das conversas entre o ministro e integrantes do Ministério Público Federal, como o procurador da República Deltan Dallagnol, pelo site The Intercept Brasil.

Encontro
O presidente da Comissão Especial da reforma, deputado Marcelo Ramos (PL-AM), disse em conta no Twitter que dedicará a terça-feira (11/06/2019) para “tentar blindar a reforma da Previdência dos últimos acontecimentos”. Os governadores devem se reunir também nesta terça na tentativa de manter os estados ao alcance da proposta. O relator, deputado Samuel Moreira (PSDB-SP), deve participar do encontro.

Últimas notícias