O deputado federal Alexandre Frota (PSL-SP) publicou em seu Twitter uma declaração na qual diz ser “persona não grata” no governo de Jair Bolsonaro (PSL). O motivo, na auto avaliação do parlamentar, seria a sua defesa da prisão de Fabrício Queiroz, acusado pelo Conselho de Controle de Atividades Financeiras (Coaf) de movimentação suspeita em uma conta poupança.

No post, o ex-ator pornô menciona a deputada federal e vice-presidente da Comissão de Constituição e Justiça (CCJ), Bia Kicis (PSL-DF), e o presidente da República. Nenhum dos dois se pronunciou sobre o assunto.

Em meados de fevereiro, Frota (PSL-SP) esmagou uma laranja na tribuna do plenário da Câmara ao comentar as acusações contra seu partido, que vive uma crise após a revelação de um esquema de candidaturas laranjas. “Laranja podre, no PSL, será esmagada”, disse Frota, esmagando com a mão a fruta que retirou do bolso ao final do discurso que fez na tribuna.

Na sequência, porém, ele defendeu o presidente. “Querem transferir para Bolsonaro o título de doutor honoris causa em corrupção, sendo que este doutor está em Curitiba, condenado a 24 anos”, disse o deputado, em alusão ao presidente Luiz Inácio Lula da Silva, preso pela Lava jato por crimes de corrupção e lavagem de dinheiro.

Personal trainer
Frota nomeou o amigo e personal trainer Jean Carlos Pereira Nunes como secretário parlamentar em seu gabinete na Câmara, em Brasília. Jean, que até o ano passado trabalhava em um academia em Cotia, São Paulo, assumiu o cargo em fevereirocom salário mensal bruto de R$ 6.636,00.

O deputado e o profissional de educação física conhecido “Jean Personal” são amigos de longa data. Nas redes sociais, há várias fotos dos dois juntos não apenas em treinos, como também em jantares com amigos, manifestações nas ruas e mais recentemente, em eventos da campanha eleitoral de Frota.