Sobre indulto a policiais, Bolsonaro diz que liberará todos que puder

Presidente preferiu não bater martelo sobre em que casos tomará a decisão, mas citou episódios como o ônibus 174 e o assalto a Ana Hickmann

Hugo Barreto/MetrópolesHugo Barreto/Metrópoles

atualizado 31/08/2019 16:29

O presidente Jair Bolsonaro (PSL) disse que não vai liberar os nomes dos policiais que vão receber indulto natalino, mas que pretende “colocar” todos que puder.

“Eu não quero dar detalhes, mas tem casos que se puder colocar eu vou colocar. Como os policiais que estiveram no caso do Carandiru, do ônibus 174, Eldorado dos Carajás, se tiver alguma pendência ainda, o caso da Ana Hickmann”, disse, durante almoço com jornalistas no Quartel General do Exército, em Brasília, neste sábado (31/08/2019).

Durante live no Facebook, nessa quinta-feira (29/08/2019), o presidente prometeu assinar o indulto para policiais que ele considera terem sido presos injustamente. Questionado no dia seguinte, ele adiantou que a lista terá “nomes surpreendentes”.

Pressão da mídia
“Tem muito policial no Brasil, civil e militar, que foi condenado por pressão da mídia. E esse pessoal no final do ano, se Deus me permitir e eu estando vivo, vai ser indultado. Nomes surpreendentes, inclusive. Pessoas que honraram a farda, defenderam a vida de terceiros, e foram condenados por pressão da mídia”, concluiu, nessa sexta-feira (30/08/2019), no Palácio do Planalto.

Últimas notícias