*
 

O presidente eleito, Jair Bolsonaro (PSL), afirmou nesta terça-feira (6/11) a jornalistas que a reforma da Previdência “não é a que queremos, mas é a que podemos aprovar”. Ele foi abordado na porta do Ministério da Defesa, onde foi almoçar, após participar de cerimônia em comemoração aos 30 anos da Constituição de 1988 no Congresso.

Bolsonaro disse ainda que conversará na quarta-feira (7) com o presidente da República, Michel Temer, sobre a Previdência. “Talvez haja oportunidade [de votar]. Gostaríamos que saísse alguma coisa. É aquilo que podemos aprovar na Câmara e no Senado.”

O presidente eleito evitou citar novos nomes de titulares para ministérios e disse que a definição deles sai até o fim do mês. “O que não podemos é anunciar alguém e depois dizer que mudou”, disse.

Sobre o senador Magno Malta (PR-ES), que não foi reeleito, mas está cotado para integrar o novo governo, Bolsonaro respondeu que ele decidiu não ser o vice, mas que o apoio dele é imprescindível. “Não podemos prescindir do apoio dele.”