Secretário nacional de Cultura pede demissão após censura do governo

Após críticas de Bolsonaro, Cidadania anunciou que suspendeu edital lançado no ano passado para selecionar séries LGBTs a serem patrocinadas

CLARA ANGELEAS/MINISTÉRIO DA CIDADANIACLARA ANGELEAS/MINISTÉRIO DA CIDADANIA

atualizado 21/08/2019 16:55

O secretário nacional de Cultura, Henrique Pires, pediu exoneração do cargo ao ministro da Cidadania, Osmar Terra. O motivo seria o fato de não concordar com atos de censura impostos pelo governo Jair Bolsonaro (PSL) que atingem o setor. A informação foi dada pela jornalista Carolina Bahia, do portal GaúchaZH.

Segundo informações da jornalista, a exoneração de Pires será publicada no Diário Oficial da União (DOU) desta quinta-feira (22/08/2019). Ainda não há informações sobre um substituto para o cargo do ex-secretário.

Ao portal G1, Pires afirmou que a “gota d’água” foi a decisão do governo de suspender um edital que havia selecionado séries sobre “diversidade de gênero” e “sexualidade”. O secretário disse ainda que acertou a saída na terça-feira (20/08/2019) em conversa com o ministro Osmar Terra. Ele disse não concordar com “filtros” na atividade cultural”.

Mais cedo, o Ministério da Cidadania, órgão ao qual a Secretaria Nacional de Cultura é subordinada, suspendeu um edital lançado no ano passado para selecionar séries temáticas para emissoras públicas de televisão. A suspensão ocorreu logo após o presidente da República ter criticado projetos da temática LGBT que estavam pré-selecionados pelo edital.

As obras escolhidas pelo concurso seriam bancadas pelo Fundo Setorial do Audiovisual (FSA), gerido pela Agência Nacional do Cinema (Ancine). O edital foi aberto em março com uma previsão de R$ 70 milhões a serem divididos entre as regiões do país.

Últimas notícias