Ramos diz que indicação de Eduardo para embaixada é apenas “intenção”

Ministro da Secretaria de Governo comparou manifestação do presidente ao indicar filho à vontade de mudar representação do Brasil em Israel

Marcos Corrêa/Presidência da RepúblicaMarcos Corrêa/Presidência da República

atualizado 12/07/2019 12:09

O ministro da Secretaria de Governo, Luiz Eduardo Ramos, comparou a fala do presidente Jair Bolsonaro (PSL), que pretende indicar o filho Eduardo à embaixada dos Estados Unidos, ao momento em que o presidente cogitou a transferência da representação do Brasil em Israel, de Tel Aviv para Jerusalém. “Onde está a embaixada hoje?”, indagou Ramos. “Ele manifestou intenção”, disse.

A avaliação do ministro foi feita durante café da manhã com jornalistas que fazem a cobertura do Palácio do Planalto, do qual o Metrópoles participou, na manhã desta sexta-feira (12/07/2019).

O ministro afirmou, no entanto, que as declarações de Bolsonaro sobre Eduardo geraram polêmica e, por isso, foram usadas na Câmara, durante a votação dos destaques da Previdência, por deputados da oposição. “Deu margem para falar”, comentou.

Por outro lado, defendeu a legalidade da possível indicação e citou o posicionamento do ministro das Relações Exteriores, Ernesto Araújo, que disse ser um “excelente nome” o de Eduardo Bolsonaro para a embaixada nos EUA. “Ele é um jovem dinâmico, preparado”, opinou Ramos.

Últimas notícias