PSol apresentará pedido de urgência para sustar não exigência de visto

Líder oposicionista aposta em trégua frágil. O projeto de decreto legislativo é considerado termômetro da relação de Maia com Bolsonaro

Lucio Bernardo Jr. / Câmara dos DeputadosLucio Bernardo Jr. / Câmara dos Deputados

atualizado 25/03/2019 16:15

Mesmo com as notícias de que lideranças do Centrão poderão conceder uma trégua ao governo de Jair Bolsonaro (PSL) nesta semana, o líder do PSol na Câmara, o deputado Ivan Valente (SP), pretende protocolar nesta terça-feira (26/3) um pedido de urgência para levar ao Plenário da Câmara Projeto de Decreto Legislativo (PDL– 61) que elimina a exigência de visto para entrada no país.

A proposta foi apresentada na semana passada, quando o clima entre deputados e o Planalto estava acirrado, com trocas de farpas entre Bolsonaro e o presidente da Câmara, Rodrigo Maia (DEM-RJ). O bloco conta com mais de 200 parlamentares de partidos como PP, PR, PSD, entre outros.

Nesse contexto, a proposta apresentada pelo PSol era vista por líderes dos partidos de centro como uma oportunidade para mandar mais um recado ao governo sobre a necessidade de negociar com parlamentares a aprovação da reforma da Previdência.

O primeiro recado ocorreu em fevereiro, quando deputados rejeitaram a medida do presidente Bolsonaro que ampliava para servidores comissionados o poder de decretar sigilo sobre documentos públicos.

Depois de um fim de semana no qual o clima continuou azedo entre os dois presidentes, um jantar na noite de domingo na residência oficial da Câmara teria servido para a negociação de uma trégua.

Mesmo assim, a aposta do líder do PSol é que, se realmente uma paz foi negociada, trata-se de algo frágil entre congressistas e governo. “Vários líderes do Centrão se comprometeram. Já recolhi as assinaturas e vou protocolar amanhã um pedido de urgência. Vamos ver se haverá recuo”, disse o parlamentar ao Metrópoles.

Não houve divulgação dos nomes que participaram do jantar. Um dos presentes foi o líder do DEM na Câmara, deputado Elmar Nascimento. Além disso, nesta segunda (25), o deputado Alexandre Frota (PSL-SP) esteve na casa de Maia para também “tentar criar um ambiente bom”.

Mesmo com o pedido de urgência sobre a mesa, a decisão de pautar ou não o projeto é do presidente da Casa. Por isso, o que acontecerá com a proposta é visto como o termômetro da relação de Maia com Bolsonaro.

O projeto tem por objetivo anular a medida anunciada pelo chefe do Executivo na semana passada, durante viagem aos Estados Unidos. Ele anunciou a isenção do visto para turistas norte-americanos, canadenses, australianos e japoneses.

A medida do presidente fere um dos princípios adotados pela diplomacia brasileira que é o da reciprocidade, uma vez que brasileiros com intenção de entrar nos Estados Unidos precisam do visto.

Últimas notícias