Porta-voz evita falar data para alta médica de Bolsonaro

Segundo o mais recente boletim médico, o presidente continua sendo alimentado pela veia. Contudo, agora, em forma cremosa

Isac Nóbrega/PRIsac Nóbrega/PR

atualizado 15/09/2019 12:19

O porta-voz da Presidência, general Otávio do Rêgo Barros, evitou cravar uma data para a alta médica do presidente Jair Bolsonaro (PSL). Ele está internado desde 8 de setembro. Inicialmente, o chefe do Palácio do Planalto sairia do hospital na próxima terça-feira (17/09/2019), mas a previsão não foi confirmada neste domingo (15/09/2019).

Rêgo Barros não deu detalhes do planejamento dos médicos para a liberação do presidente. “Voltamos a dizer que a alta estará associada ao processo de recuperação. Num prazo breve ele terá alta. Estamos esperançosos que ela ocorra em um prazo curto”, ponderou.

Segundo o mais recente boletim médico, o presidente continua sendo alimentado pela veia. Contudo, agora, em forma cremosa. Antes, as refeições eram líquidas. Rêgo Barros adiantou que ainda neste domingo (15/09/2019) a equipe médica pode trocar a comida por uma consistência pastosa. A alteração dependerá do retorno das atividades intestinais do presidente.

“Estamos bastante satisfeitos com a evolução do presidente”, resumiu o porta-voz, em entrevista no Hospital Vila Nova Star, em São Paulo, onde Bolsonaro está internado. As visitas continuam restritas. O presidente está acompanhado pela primeira-dama, Michelle Bolsonaro, e por um dos filhos, o vereador Carlos Bolsonaro (PSC-RJ).

Bolsonaro não tem infecções, febre e não sente dores. A equipe decidiu continuar fazendo fisioterapia respiratória no presidente. De acordo com a avaliação do corpo técnico, a recuperação está satisfatória, apesar dos movimentos intestinais ainda não estarem plenos.

Está mantida a previsão da viagem do presidente aos Estados Unidos. Antes, os médicos podem avaliá-lo em Brasília. Segundo o porta-voz, o Bolsonaro está de “excelente” humor e tem caminhado pelo hospital.

Nesse sábado (14/09/2019), o ministro do Meio Ambiente, Ricardo Salles, esteve no hospital. Porém, segundo Rêgo Barros, ele não se encontrou com Bolsonaro.

Seis dias após a cirurgia, os médicos informaram que Bolsonaro está com “certa dificuldade” no retorno do funcionamento natural do intestino. As informações foram dadas neste sábado pelo cirurgião Antonio Luiz Macedo, que o acompanha.

Veja a íntegra do boletim médico de Bolsonaro:

O Hospital Vila Nova Star informa que o Senhor Presidente da
República, Jair Messias Bolsonaro, continua apresentando
melhora clínica progressiva. Permanece sem dor, afebril e
com melhora dos movimentos intestinais. Mantida a dieta
cremosa com boa aceitação e, hoje, daremos início à redução
do volume da alimentação parenteral (endovenosa). Persiste
com fisioterapia respiratória e motora, caminhando
frequentemente pelo corredor. As visitas seguem restritas.

Últimas notícias