“Política não é muito da mulher”, afirma presidente do PSL

Luciano Bivar também se disse contra a atual regra de cota. O texto em vigor determina que 30% dos candidatos sejam do sexo feminino

Valter Campanato/Agencia BrasilValter Campanato/Agencia Brasil

atualizado 11/02/2019 12:04

Luciano Bivar, presidente nacional do PSL, acredita que “política não é muito da mulher”. A declaração foi dada em entrevista à Folha de S. Paulo, publicada neste domingo (10/2).

Fundador da legenda, Bivar se disse contra a atual regra de cota. O texto em vigor determina que 30% dos candidatos devem ser do sexo feminino. “A política não é muito da mulher. Eu não sou psicólogo não. Mas eu sei disso”, disparou.

O dirigente do partido do presidente da República garantiu não ter sido consultado sobre repasse de R$ 400 mil de dinheiro público a uma candidatura de fachada do seu estado, Pernambuco, onde foi reeleito deputado federal em 2018.

Além disso, negou que Maria de Lourdes Paixão, integrante da legenda que obteve apenas 274 votos (apesar de ter recebido a terceira maior fatia nacional da verba do PSL), seja laranja. Segundo Bivar, tudo foi feito dentro da legalidade.

Últimas notícias