PDT suspende Tabata Amaral e mais sete por voto a favor da Previdência

A decisão foi tomada em encontro, nesta quarta-feira, entre Carlos Lupi e integrantes da Executiva Nacional e da Comissão de Ética

Divulgação/PDTDivulgação/PDT

atualizado 17/07/2019 14:02

A deputada federal Tabata Amaral (SP) e outros parlamentares que votaram a favor da reforma da Previdência foram suspensos pelo PDT, conforme anunciou o presidente do partido, Carlos Lupi. De acordo com o político, a sanção impede que eles “falem em nome” ou usem a estrutura da sigla. As informações são do portal UOL.

A decisão foi tomada em encontro, nesta quarta-feira (17/07/2019), entre Lupi e integrantes da Executiva Nacional, da Comissão de Ética e de movimentos sociais. Com isso, o líder da legenda na Câmara, André Figueiredo (CE), receberá a orientação para retirá-los das comissões da Casa.

O processo disciplinar deve durar entre 45 e 60 dias. Durante esse tempo, os parlamentares terão a chance de se explicar. Por fim, o partido decidirá pela expulsão ou não dos deputados.

A reunião desta quarta-feira não contou com a presença de Tabata e dos outros deputados envolvidos nos processos. O vice-presidente do PDT, Ciro Gomes, também não participou.

Além de Tabata, são alvo de processo disciplinar Jesus Sérgio (AC), Alex Santana (BA), Silvia Cristina (RO), Subtenente Gonzaga (MG), Marlon Santos (RS), Gil Cutrim (MA) e Flávio Nogueira (PI).

Últimas notícias