Para Dilma, transferência de Lula é vingança diante da desmoralização

A ex-presidente saiu em defesa do colega e apontou perseguição contínua da juíza Carolina Lebbos

Netflix/DivulgaçãoNetflix/Divulgação

atualizado 07/08/2019 18:02

A ex-presidente Dilma Rousseff, ao falar sobre a determinação da juíza Carolina Lebbos de transferir o ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva para o presídio de Tremembé, em São Paulo, indica mais uma injustiça contra ele, causada por perseguição contínua e sentimento de vingança devido à uma suposta desmoralização de quem o acusou.

“Lula aguarda, ainda, julgamento de habeas corpus que pode colocá-lo em liberdade, diante das revelações da Lava Jato. A decisão extemporânea da Juíza Lebbos evidencia que a perseguição continua, agravada pelo sentimento de vingança diante da desmoralização dos que o condenaram”, postou a ex-presidente, referindo-se à sucessora de Sergio Moro na Lava Jato, a juíza Carolina Lebbos, da 10ª Vara Federal, em Curitiba.

“A transferência de Lula para um presídio de presos comuns em SP põe em risco a sua segurança e a sua vida. É mais uma das inúmeras injustiças praticadas contra ele porque, no mínimo, pelo tempo cumprido na prisão, já teria direito a regime semiaberto.

Tal decisão revela ainda desrespeito e mesquinhez, pois nega a Lula a prerrogativa de ocupar uma Sala de Estado Maior, assegurada aos ex-presidentes da República.

Últimas notícias