*
 

Nova polêmica no Twitter. Após se afastar da equipe de transição, o vereador carioca e filho do presidente eleito Jair Bolsonaro (PSL), Carlos Bolsonaro (PSL-RJ), continua disparando sua metralhadora giratória para aliados do próximo presidente da República.

Na noite desta quarta-feira (5/12), o alvo foi o deputado federal eleito pela Paraíba Julian Lemos, do mesmo partido dos Bolsonaros e um dos postulantes a congressista mais próximo do então presidenciável do PSL durante a disputa eleitoral. Carlos (foto em destaque) postou que Lemos não é e nunca foi o coordenador do presidente eleito no Nordeste e ainda sugeriu que ele parasse de “tentar aparecer” à sombra de Jair Bolsonaro (confira abaixo).

“Na minha casa o que meu pai falava era respeitado, na minha casa eu aprendi honrar pai e mãe, só assim eu poderia ser feliz e ter paz, hoje percebo porque tenho filhos e uma esposa linda e vivo em paz”, escreveu Lemos, no Instagram, como legenda de um vídeo com Bolsonaro pai, no qual o então presidenciável o chama de “nosso coordenador no Nordeste” e “nosso candidato pela Paraíba”. Veja:

View this post on Instagram

Na minha casa o que meu pai falava era respeitado, na minha casa eu aprendi honrar pai e mãe, só assim eu poderia ser feliz é ter paz, hoje percebo porque tenho filhos e uma esposa linda e vivo em paz. "Um homem quando está em paz não quer guerra com ninguém". Se for possível, quanto depender de vós, tende paz com todos os homens. Romanos 12:18

A post shared by Julian Lemos 1717 Dep. Federal (@julianlemos1717) on

Desavenças
Nas últimas semanas, Carlos Bolsonaro se afastou das atividades diretas da transição governamental. Segundo informações de bastidores, um desentendimento entre ele e Gustavo Bebianno, que deve assumir a Secretaria-Geral da Presidência, área à qual a comunicação é ligada, teria se acentuado e culminado no afastamento do filho do futuro presidente da República.

Bolsonaro, contudo, ainda estaria tentando demover Carlos da ideia de ficar fora do governo. Seja como for, ainda não está definido quem assumirá a Secretaria de Comunicação da Presidência da República (Secom), pasta para a qual o nome de Carlos Bolsonaro foi ventilado e desmentido pelo próprio.