“No meu entender, não foi pessoal”, diz Bolsonaro após crítica de Maia

O presidente da Câmara o chamou de “produto dos nossos erros” durante evento em São Paulo

Michael Melo/MetrópolesMichael Melo/Metrópoles

atualizado 09/08/2019 11:54

Depois de o presidente da Câmara, Rodrigo Maia (DEM-RJ), dizer que Jair Bolsonaro (PSL) é “produto dos nossos erros”, o chefe do Executivo afirmou que não considera a crítica pessoal. O presidente falou sobre o assunto na manhã desta sexta-feira (09/08/2019), ao deixar o Palácio da Alvorada

“No meu entender, não foi uma crítica pessoal. Eu acho que o Rodrigo Maia… Parabéns! Se é que ele falou isso mesmo. Olha só, mudou, realmente, de esquerda para centro-direita ou direita o governo. Então, o erro não é dele, é da esquerda que estava no poder”, afirmou. 

Maia é a liderança reconhecida pelo governo no trabalho de aprovação da reforma da Previdência na Câmara e foi elogiado pelo presidente pouco antes, depois da votação da proposta em segundo turno. 

A declaração do presidente da Câmara foi feita durante um evento da Fundação Lemann, em São Paulo, nessa quarta-feira (07/08/2019). O parlamentar atribuiu à ascensão de Bolsonaro, antes considerado deputado de baixo clero, os movimentos de rua iniciados em 2013, contra o governo de Dilma Rousseff (PT).

O líder da Casa também criticou propostas do governo que não estão relacionadas à área econômica, como o projeto de lei para alterar o Código de Trânsito Brasileiro (CTB).

“A Câmara quem conduz é o Rodrigo Maia. Tenho certeza de que outras propostas, como a reforma tributária, é de interesse dele e de outros parlamentares”, disse Bolsonaro.

Últimas notícias