Mourão: governo prevê prorrogar atuação de Forças Armadas na Amazônia

Vice-presidente recebeu o ministro da Defesa, Fernando Azevedo e Silva, nesta tarde para se atualizar sobre as queimadas na região

Marcelo Camargo/Agência BrasilMarcelo Camargo/Agência Brasil

atualizado 13/09/2019 19:03

O presidente da República em exercício, Hamilton Mourão, afirmou na noite desta sexta-feira (13/09/2019) que o governo federal pretende prorrogar o prazo da operação de Garantia da Lei e da Ordem (GLO) na região da Amazônia Legal, que vence no dia 24 de setembro. “A nossa ideia, depois que o presidente voltar, é solicitar a prorrogação dela”, afirmou, ao deixar a vice-presidência.

Mourão recebeu o ministro da Defesa, Fernando Azevedo e Silva, nesta tarde. Na ocasião, o ministro passou atualizações sobre a situação do combate às queimadas na região.

“Já tem em torno de R$ 25 milhões de multas aplicadas, uns 12.000 m³ de madeira apreendidos, embarcação, veículo, etc e tal. Em torno de 350 ataques a focos terrestres, mais umas 350 incursões aéreas, em aeronaves”, relatou Mourão.

O presidente em exercício sinalizou que o governo federal pode avaliar o envio de ajuda à Chapada dos Guimarães, em Mato Grosso (MT), onde o fogo está se alastrando nos últimos dias. “Vamos ver. Se o governo de Mato Grosso precisar… o problema é o custo. Uma operação dessa não é barata, ela custa (R$) 1,5 milhão por dia, por causa do uso de aeronave”, ponderou.

Mourão deve ficar na Presidência da República até a próxima segunda-feira (16/09/2019), dia em que ele cumprirá agenda em Natal (RN).

Últimas notícias