Líder do PSL garante que partido está comprometido com a reforma

Grupo de parlamentares ameaça votar contra o texto final se forças policiais não forem incluídos no relatório final

Igo Estrela/MetrópolesIgo Estrela/Metrópoles

atualizado 02/07/2019 10:59

O líder do PSL na Câmara dos Deputados, delegado Waldir, garantiu que os parlamentares do seu partido estão compromissados com a reforma da Previdência. “Nós temos o compromisso e a responsabilidade com a reforma da Previdência”, disse.

A bancada do PSL pode registrar uma baixa de até 22 votos a favor da reforma, conforme informou a colunista Mônica Bergamo. O motivo seria a recusa do ministro da Economia, Paulo Guedes, de aceitar destaques que beneficiariam policiais civis e federais com regras mais brandas para a aposentadoria.

Líderes, deputados e governadores se reúnem na manhã desta terça-feira (02/07/2019) na casa do presidente da Câmara dos Deputados, Rodrigo Maia (DEM-RJ). A reunião é tida como a última oportunidade para discutir a inserção dos Estados e municípios na reforma da Previdência.

Outro ponto que pode ser discutido é a aposentadoria de policiais federais e rodoviários federais. O delegado Waldir afirmou que o tema seria tratado, sobretudo, após chegar em um acordo sobre a inclusão dos Estados e municípios na reforma.

“Os policiais pedem três anos de transição, e o Rodrigo Maia chegou a oferecer acho que dois anos, o que é uma diferença muito pequena”, explicou o deputado. A proposta, então, é negociar uma regra mais de transição mais branda.

Últimas notícias