Kassab quer levar senadores para seu partido, o PSD

Estratégia é para garantir que a sigla tenha a segunda maior bancada do Senado Federal

Daniel Ferreira/MetrópolesDaniel Ferreira/Metrópoles

atualizado 11/12/2018 21:40

O presidente do PSD, Gilberto Kassab, se articula para tornar seu partido um dos mais poderosos no Senado Federal a partir de 2019. O dirigente está trabalhando para aumentar sua bancada de sete para nove senadores no ano que vem. Se conseguir viabilizar esse crescimento, a legenda será a segunda maior da Casa, atrás apenas do MDB, e passaria a ter direito à Vice-Presidência do Senado.

A principal investida de Kassab aconteceu nessa segunda-feira (10/12), quando foi à Belo Horizonte (MG) para convidar, oficialmente, o senador eleito Carlos Viana, do PHS mineiro, para migrar para o PSD. A reportagem apurou que já está tudo acertado para a filiação de Viana. Agora, a sigla procura mais um senador para se tornar a segunda maior bancada do Senado

Inicialmente, o PSD teria sete senadores na próxima legislatura, atrás de PSDB, com oito senadores, e MDB, com 12 parlamentares. Mas com esse movimento, o partido de Kassab buscar juntar nove nomes na bancada. Dessa forma, a sigla ultrapassaria a legenda tucana. É justamente o PSDB quem comanda a Vice-Presidência do Senado atualmente, por meio do senador Cássio Cunha Lima (PB).

Ex-ministro de Ciência e Tecnologia, Kassab será secretário da Casa Civil do tucano João Doria, em São Paulo, no ano que vem. Além de Viana, ele estava mirando no nome do senador eleito Eduardo Gomes, do Solidariedade de Tocantins, mas Gomes deve declinar do convite. Outro nome que interessaria é da senadora eleita Zenaide Maia, do PHS do Rio Grande do Norte.

Últimas notícias