Guedes gostaria de incluir capitalização em PEC do Senado, diz Maia

O economista sinalizou ao presidente do Senado, Davi Alcolumbre, o interesse em incluir a medida junto com estados e municípios no texto

Rafaela Felicciano/MetrópolesRafaela Felicciano/Metrópoles

atualizado 06/08/2019 18:16

Na reta final da tramitação da reforma da Previdência na Câmara dos Deputados, o ministro da Economia, Paulo Guedes, ainda tenta incluir o regime de capitalização no projeto que altera as regras de aposentadoria no país.

Segundo o presidente da Casa, Rodrigo Maia (DEM-RJ), Guedes sinalizou o desejo de acrescentar o novo sistema na proposta de emenda à Constituição (PEC) paralela da reforma, que incluirá estados e municípios no projeto e será analisado primeiramente no Senado Federal.

A PEC foi formulada por meio de um acordo com governadores, mediado pelo presidente do Senado, Davi Alcolumbre (DEM-AP), para tentar reunir servidores estaduais e municipais às novas normas da Previdência. A medida agrada a Guedes, por isso, segundo Maia, o economista sugeriu ao presidente do Senado que tentasse colocar no texto também a capitalização.

“O presidente tem toda condição na liderança no Senado e na Câmara de fazer essa inclusão. Ontem, Guedes pediu que se avaliasse da inclusão da capitalização. Acho que tem textos que agregam inclusive partidos de esquerda, como o PDT’, disse Maia. A PEC paralela tem o objetivo de articular a entrada das unidades federativas na proposta entre os senadores.

Isso porque deputados, sobretudo do Centrão, rechaçaram a ideia de incluir estados e municípios ainda na Câmara. Parlamentares alegaram a pouca mobilização de governadores e prefeitos pela aprovação da reforma, que é tida como “impopular” nas bases eleitorais. Tramitando em paralelo e até que passe no Senado, deputados já estariam mais abertos à ideia.

Aprovada este ano
Maia disse que a PEC paralela “com certeza” pode ser aprovada na Casa ainda em 2019. “O que a gente precisa é da liderança de Davi. Tenho certeza que estados e municípios terão votos também da esquerda. Isso é decisivo”, acrescentou.

O deputado fluminense de reuniu com Guedes e Alcolumbre na residência oficial do senador na segunda (05/08/2019), para discutir sobre o segundo turno de votação da reforma, que terá início nesta noite, fazer um balanço do primeiro semestre e pensar em estratégias para a tramitação de outras pautas econômicas até o fim deste ano.

Últimas notícias