“Governos passam, governantes passam e instituições ficam”, diz Moro

Em cerimônia de Policiais Federais em formação, ministro da Justiça disse que o governo quer fortalecer a PF por ser "estratégica ao país"

CASSIANO ROSÁRIO/FUTURA PRESS/ESTADÃO CONTEÚDOCASSIANO ROSÁRIO/FUTURA PRESS/ESTADÃO CONTEÚDO

atualizado 01/07/2019 18:11

“Os governos passam e as instituições ficam”, afirmou o ministro da Justiça e Segurança Pública, Sergio Moro, a policiais federais em formação, nesta segunda-feira (01/07/2019) em Brasília.

A Aula Inaugural dos cursos de formação de Delegados de Polícia Federal, Peritos Criminais Federais, Agentes de Polícia Federal, Escrivães de Polícia Federal e Papiloscopistas Policiais Federais aconteceu no teatro de arena da mítica Academia Nacional de Polícia.

Veja:

Coube ao Ministro da Justiça e da Segurança Pública – fortalecido pelas manifestações de rua neste domingo (30/06/2019) que defendem sua atuação e seu projeto contra a violência, a corrupção e o crime organizado – proferir a primeira aula aos alunos, na presença do diretor-geral da PF, delegado Maurício Valeixo, e outros dirigentes da corporação e presidentes de entidades de classe.

Moro ressaltou que o governo quer “fortalecer a PF”, por ser “estratégica para o país”. Ele sinalizou posicionamento sobre uma pauta encampada há anos pelos sindicatos e entidades de classe ligados à carreira: a autonomia administrativa.

A Polícia Federal está sob o guarda-chuva do Ministério da Justiça. Os delegados fazem campanha e buscam no Congresso apoio a uma Proposta de Emenda Constitucional que confere total independência financeira e institucional.

Em seu discurso aos principiantes da corporação, Moro afirmou ser “inegável nos últimos anos, que a PF, pelo relevante papel desempenhado, adquiriu uma aura de excelência perante a população brasileira extremamente forte”.

“É inegável que a Polícia Federal tem, além do estatuto legal que a outorga autonomia e independência, hoje ela tem, por seu próprio histórico e por suas próprias delegações, uma independência e autonomia que vão além até do próprio fator legal. Os governos passam, os governantes passam, e as instituições permanecem. E é responsabilidade dos senhores que essa instituição fique cada vez mais forte”, afirmou.

Últimas notícias