Frota convida Tabata a sair do PDT: “O PSL está de braços abertos”

Tabata Amaral foi ameaçada de expulsão do partido caso votasse a favor da reforma da Previdência. A parlamentar preferiu desobedecer a sigla

Reprodução/ FacebookReprodução/ Facebook

atualizado 11/07/2019 15:00

Após ser ameaçada de deixar o PDT, a deputada federal Tabata Amaral (SP) recebeu um convite, nesta quinta-feira (11/07/2019), para ingressar no PSL, partido do presidente Jair Bolsonaro.

O nome da parlamentar está desde quarta-feira (10/07/2019) nos trending topics no Twitter. Surfando na onda, o também paulista deputado federal Alexandre Frota (PSL) afirmou que seu partido está de portas abertas para receber Tabata Amaral.

“Tabata Amaral, o PSL está de braços abertos para você”, escreveu seu colega de Câmara, Alexandre Frota, que logo em seguida ironizou: “Partido não vai faltar. Força aí, PDT”. Mais cedo, o deputado afirmou que o PDT não poderia expulsar ninguém porque, caso contrário, o partido se acabaria.

Por um lado, o PDT havia fechado questão contra a reforma da Previdência, mas sete parlamentares, além de Tabata, desobedeceram e declararam voto a favor. A sigla possui 27 deputados. Por outro lado, todos os 52 deputados do PSL votaram a favor da Previdência.

Na terça-feira (09/07/2019), o presidente do PDT, Carlos Lupi, ameaçou expulsar do partido aqueles que votassem a favor da reforma da Previdência. Na mesma mão, Ciro Gomes, ex-candidato a presidente pela sigla, também tentou convencer Tabata a abrir mão de sua opinião particular.

“A reforma que hoje votamos não pertence mais ao governo; ela sofreu diversas alterações feitas por esse mesmo Congresso. O sim que digo à reforma não é sim ao governo e também não é um não a decisões partidárias”, respondeu Tabata.

O PDT vai abrir um processo interno na Comissão de Ética do partido contra os oito deputados que contrariaram a orientação partidária e votaram a favor do texto base da reforma da Previdência.