Ex-governadores Garotinho e Rosinha são presos em operação do MP

O casal e mais três pessoas são suspeitos de superfaturar contratos celebrados entre a prefeitura de Campos dos Goytacazes e Odebrecht

Renato Araújo/Arquivo Agência BrasilRenato Araújo/Arquivo Agência Brasil

atualizado 03/09/2019 9:23

O Ministério Público do Rio de Janeiro e a Coordenadoria de Segurança e Inteligência realizaram a Operação Secretum Domus na manhã desta terça-feira (03/09/2019) e prenderam os ex-governadores do estado Anthony Garotinho (Sem partido) e Rosinha Matheus (Patriota-RJ). O casal e mais três pessoas são suspeitos de superfaturar contratos celebrados entre a prefeitura de Campos dos Goytacazes e a Odebrecht.

Os mandados de prisão e de busca e apreensão, emitidos pela 2ª Vara Criminal da Comarca de Campos dos Goytacazes, foram cumpridos na cidade do Rio de Janeiro e em Campos. Garotinho e Rosinha estavam em casa, na zona sul do Rio, quando foram presos. Os dois foram levados para a Cidade da Polícia, na zona norte, por volta das 7h30.

Outros mandados foram expedidos contra Sérgio dos Santos Barcelos, Ângelo Alvarenga Cardoso Gomes e Gabriela Trindade Quintanilha.

A denúncia do MP foi baseada em acordo de delação de dois executivos da Odebrecht ao Ministério Público Federal (MPF) no âmbito da Operação Lava Jato. Segundo os colaboradores, os suspeitos teriam superfaturado contratos para a construção de casas populares dos programas Morar Feliz I e II enquanto Rosinha era prefeita, entre os anos de 2009 e 2016.

As licitações dos contratos ultrapassaram o valor de R$ 1 bilhão. (Com Agência Estado)

Últimas notícias