Em meio a polêmicas, pacote anticrime de Moro começa a andar no Senado

O projeto foi desmembrado em três partes e apresentado na Comissão de Constituição de Justiça (CCJ) nesta quarta

Hugo Barreto/MetrópolesHugo Barreto/Metrópoles

atualizado 03/07/2019 19:09

Em meio às polêmicas envolvendo o ministro da Justiça e Segurança Pública, Sergio Moro, e integrantes da Operação Lava Jato, o pacote anticrime apresentado pela pasta do ex-juiz federal começou a andar no Congresso. Nesta quarta-feira (03/07/2019) o Senado desmembrou o projeto e apresentou parte dele na Comissão de Constituição e Justiça (CCJ). A informação é da Folha de S.Paulo.

De acordo com a reportagem, o pacote anticrime foi dividido em três partes na Casa: alterações nos códigos Penal e de Processo Penal, com relatoria do senador Marcos do Val (Cidadania-ES); tipificação do crime de caixa 2 no Código Eleitoral, com o senador Marcio Bittar (MDB-AC) como relator; e a que determina que o julgamento de crimes comuns conexos ao processo eleitoral seja realizado pela Justiça comum, relatada pelo senador Rodrigo Pacheco (DEM-MG).

Na semana passada, no dia em que o Senado aprovou o projeto para combater o chamado abuso de autoridade, um grupo de senadores, incluindo o filho do presidente da República, Jair Bolsonaro (PSL), Flávio Bolsonaro (PSL-RJ), reuniram-se para discutir a viabilidade de se dar seguimento ao projeto. Moro também participou da reunião.

Mesmo que os senadores não tenham concordado na integralidade sobre as chances reais de se levar as propostas adiante neste momento, nesta quarta, o primeiro dos três relatórios foi apresentado na CCJ numa tentativa de evitar que a pressão sobre Moro trave as matérias.

Últimas notícias