Moro fala e deputados brigam: “Parece Escolinha do Professor Raimundo”

Depois de uma breve discussão entre membros da oposição e do PSL, o presidente da CCJ assumiu a palavra e fez a comparação

Rafaela Felicciano /MetrópolesRafaela Felicciano /Metrópoles

atualizado 02/07/2019 16:18

A audiência com o ministro da Justiça e Segurança Pública, Sergio Moro, na Comissão de Constituição e Justiça (CCJ) da Câmara dos Deputados, realizada na tarde desta terça-feira (02/07/2019), teve poucos momentos de tranquilidade. Tão logo o presidente do colegiado cedeu a palavra aos deputados, um início de confusão teve início.

Os primeiros a assumirem a palavra foram os parlamentares da oposição, críticos a Moro. Após o deputado comunista Marcio Jerry (PCdoB-MA) dizer que “não se comete um crime para revelar outro”, a respeito das supostas conversas entre o ex-juiz e os membros da força-tarefa da Lava Jato reveladas pelo site Intercept Brasil, deputados do PSL reagiram.

O mais revoltado entre foi o líder do PSL, delegado Waldir (GO). Tão logo as falas da oposição terminaram, ele se levantou, gritou e até pediu a interrupção da sessão. Para concluir a discussão, o presidente da CCJ, Felipe Francischini (PSL-PR) pediu que os parlamentares se comportassem e disparou: “Parece Escolinha do Professor Raimundo isso aqui”.

Contexto 
Em 9 de junho, o Intercept começou a divulgar uma série de reportagens com base em mensagens que mostram suposta interferência do então juiz da Operação Lava Jato no trabalho investigativo. O atual ministro da Justiça e o chefe da força-tarefa do Ministério Público Federal, Deltan Dallagnol, teriam trocado colaborações. Depois, o site continuou com a publicação de matérias sobre o tema.

Sergio Moro e Dallagnol dizem ter sido vítimas de um ataque hacker criminoso e não reconhecem a autenticidade do conteúdo que veio a público. Com base no que foi exposto, ambos negam haver qualquer irregularidade nas conversas.

Últimas notícias