Eduardo nos EUA: “Bolsonaro pode ser derrotado no Senado”, diz Tebet

Presidente da CCJ, Simone Tebet (MDB-MS), avalia que "será o maior erro até agora" do presidente indicar o filho à embaixada em Washington

Michael Melo/MetrópolesMichael Melo/Metrópoles

atualizado 15/07/2019 17:43

Durante café com jornalistas na tarde desta segunda-feira (15/07/2019), a presidente da Comissão de Constituição e Justiça no Senado, Simone Tebet (MDB-MS), afirmou que será o “maior erro do presidente da República até agora” indicar o filho como embaixador do Brasil nos Estados Unidos. Segundo a senadora, se Jair Bolsonaro (PSL) insistir no nome de Eduardo Bolsonaro para a vaga na embaixada norte-americana, poderá ser derrotado pelo Senado Federal.

“Eu tenho o sentimento de que o nome de Eduardo não seria aprovado pela Comissão da Casa”, completou. Ainda de acordo com a parlamentar, há dúvidas sobre as qualidades e o notório saber do deputado, além da discussão se o fato é ou não nepotismo.

A polêmica

Jair Bolsonaro revelou na quinta-feira (11/07/2019) que estuda a possibilidade de indicar o filho Eduardo Bolsonaro, deputado federal por São Paulo, como embaixador do Brasil nos Estados Unidos.

Bolsonaro alegou que, como Eduardo “fala inglês com fluência” e tem afinidade com a família do presidente dos EUA, Donald Trump, ele estaria qualificado para o posto.

“É uma coisa que está no meu radar, sim. Existe essa possibilidade. Ele é amigo do filho do Trump. Fala inglês, espanhol, tem uma vivência muito grande de mundo. Poderia ser uma pessoa adequada, daria conta do recado perfeitamente em Washington.”

A possibilidade gerou imediata controvérsia, com reações negativas até entre tradicionais aliados, como o professor de filosofia on-line Olavo de Carvalho, que classificou a possível indicação como “um retrocesso”, e levantou possibilidade de questionamentos jurídicos – como a avaliação do ministro do Supremo Tribunal Federal (STF) Marco Aurélio Mello de que isso poderia ser enquadrado como nepotismo.

Últimas notícias