CNI/Ibope: governo de Jair Bolsonaro tem aprovação de 35%

Levantamento foi divulgado nesta quarta-feira (24/04/2019) pela Confederação Nacional da Indústria (CNI)

Cristiano Gomes/MetrópolesCristiano Gomes/Metrópoles

atualizado 24/04/2019 11:20

Pesquisa do Ibope encomendada pela Confederação Nacional da Indústria (CNI) mostra que 35% dos brasileiros aprovam o governo do presidente Jair Bolsonaro (PSL). Dos entrevistados, 31% consideram a gestão regular e 27% avaliam como ruim ou péssima. O levantamento foi divulgado nesta quarta-feira (24/04/2019).

Na comparação com outros governos, Bolsonaro tem o pior julgamento para o início de mandato desde a redemocratização. A série histórica mostra Fernando Collor com 45% de avaliação ótima ou boa, em 1990, Fernando Henrique com 41% em 1995, Luiz Inácio Lula da Silva com 51% em 2003 e Dilma Rousseff com 56% em 2011.

O atual presidente só se sai melhor do que Itamar Franco (34%, em 1993) e Michel Temer (14%, em 2016). Itamar e Temer assumiram o Palácio do Planalto após o impeachment de Collor e Dilma, respectivamente.

Confiança
A pesquisa revela que a confiança no presidente é maior do que a desconfiança. Para 51% da população, Bolsonaro é confiável. Já os que não confiam são 45%. Nesse quesito, 4% não souberam ou não responderam.

Por quesitos, a gestão de Bolsonaro é melhor avaliada na segurança pública, na educação, no meio ambiente e no combate à inflação. Nesses aspectos, a satisfação da população varia entre 47% e 57%.

Os entrevistados apontam como pontos ruins do governo a taxa de juros, os impostos, a saúde e o combate ao desemprego. A insatisfação varia de 49% a 57%.

Repercussão dos dados
A boa avaliação de Bolsonaro na segurança, força de tração na campanha eleitoral, é ligada às mudanças na chefia da pasta, agora comandada pelo ministro Sergio Moro. “Em quatro meses de governo é difícil avaliar, mas a população percebeu mudanças”, explicou o gerente-executivo de Pesquisa da CNI, Renato da Fonseca.

Para Renato, a avaliação baixa de Bolsonaro em raleção a outros presidentes se deve à polarização da última eleição. “Estamos no início de governo. Pouca coisa de impacto aparece e de forma que a população perceba. Já mostramos em outras pesquisas que algumas coisas estão andando, mas na discussão com a população não percebemos esse resultado”, destacou.

Renato frisa que a avaliação ruim do governo está ligada, principalmente, à economia. “A economia está parada. As pessoas pensaram que elegendo Bolsonaro, em seguida, ela melhoraria, mas muita gente continua desempregada, com salário baixo”, detalhou.

A pesquisa CNI/Ibope entrevistou duas mil pessoas em 126 municípios entre 12 e 15 de abril. A margem de erro é a de dois pontos percentuais para mais ou para menos. O nível de confiança é de 95%, ou seja, a probabilidade de os resultados corresponderem à realidade é de 95%.

Veja destaques da pesquisa CNI/Ibope:

>> Popularidade do personagem é maior entre os homens em relação às mulheres;

>> Nordeste tem a pior avaliação do presidente e do governo;

>> Quanto maior o nível de renda, maior a popularidade do presidente;

>> Para 51% da população, Bolsonaro governa melhor do que o ex-presidente Michel Temer (MDB).

Últimas notícias