Chanceler alemão defende maior presença internacional do Brasil

Representante do 4º maior parceiro comercial do Brasil foi recebido pelo presidente Bolsonaro: país segue apoiando Fundo da Amazônia

Marcos Corrêa/PRMarcos Corrêa/PR

atualizado 30/04/2019 20:20

“O mundo precisa de um Brasil que se envolva, um Brasil que coloque seu peso relevante em todas as questões”, disse nesta terça-feira (30/04/2019) o ministro das Relações Exteriores da Alemanha, Heiko Maas, que começou pelo Brasil uma viagem pela América Latina.

Em Brasília, ele se reuniu com o ministro brasileiro das Relações Exteriores, Ernesto Araújo, e foi recebido em visita de cortesia pelo presidente da República (foto em destaque), Jair Bolsonaro (PSL). “Para mim é muito importante começar pelo Brasil essa viagem”, disse Mass.

Acordo Mercosul-UE
Ele ressaltou ter conversado sobre relações comerciais na sua reunião com o chanceler Ernesto Araújo, quando ambos expressaram “o desejo de que finalmente seja concluído um acordo entre o Mercosul e a União Europeia (UE)”, disse.

Sobre as mudanças climáticas, o chanceler alemão afirmou que seu país continua apoiando o Fundo Amazônia para que essa fonte de financiamento seja “um instrumento de proteção às florestas tropicais”. Segundo Heiko Maas, os dois lados falaram sobre proteção ao clima, florestas tropicais,  região amazônica, povos indígenas e proteção às minorias.

“Esses são objeto de debate público [mundial] e é importante que não haja hesitações nesses temas, caso o Brasil queira desempenhar seu papel no mundo. Ouvimos coisas bastante encorajadoras, por exemplo, sobre o engajamento brasileiro em nível internacional no tema dos direitos humanos”, frisou Maas.

Parceria estratégica
“O Brasil é um país forte que encontra sua força na diversidade de sua sociedade, é um país cuja voz é ouvida, e espero que isso continue”, destacou o diplomata alemão, ao falar sobre a parceria estratégica com o Brasil, que inclui várias questões, entre elas consultas intergovernamentais.

Segundo ele, as últimas dessas consultas entre as duas nações ocorreram em 2015 no Brasil. “O lado brasileiro expressou o seu desejo de que essas consultas  continuem a acontecer. Naturalmente levarei essa demanda ao governo da Alemanha e precisamos ainda discutir qual seria a data ideal para esses encontros”, disse.

A Alemanha é o quarto parceiro comercial e fonte tradicional de investimentos para o desenvolvimento brasileiro, com um fluxo comercial entre os dois países de cerca de US$ 20 bilhões em 2016. Estima-se que existam 1,6 mil empresas alemãs instaladas no Brasil, sendo São Paulo uma das maiores concentrações industriais alemãs fora da Alemanha.

Últimas notícias