Carlos se desculpa por post sobre 2ª instância no Twitter do pai

Bolsonaro se encontrou com três ministros do STF na véspera da votação sobre o tema; "filho 02" se desculpou e apagou post da conta do pai

Reprodução / InstagramReprodução / Instagram

atualizado 17/10/2019 17:14

O vereador Carlos Bolsonaro (PSC-RJ), “filho zero dois” do presidente da República, Jair Bolsonaro (PSL), assumiu a autoria de uma publicação que foi apagada do Twitter do pai nesta quinta-feira (17/10/2019). O post indicava o apoio de Bolsonaro à prisão em 2ª instância, pauta em análise pelo Supremo Tribunal Federal (STF).

Carlos se retratou em conta pessoal na rede social, dizendo que fez uso da conta do pai “sem autorização” e pediu desculpas pelo ocorrido. “Eu escrevi o tweet sobre segunda instância sem autorização do Presidente. Me desculpem a todos! A intenção jamais foi atacar ninguém! Apenas expor o que acontece na Casa Legislativa!”, diz o texto.

Na conta de Bolsonaro, pela manhã, a mensagem dizia o seguinte: “Aos que questionam, sempre deixamos clara nossa posição favorável em relação à prisão em segunda instância. Proposta de Emenda à Constituição que encontra-se no Congresso Nacional sob a relatoria da Deputada Federal Carol de Toni (PSL-SC)”.

O que está em jogo
Desde 2016, o entendimento da maioria da Corte é o de que a pena pode começar a ser executada após decisão por Tribunal de segunda instância, mas a orientação pode mudar.

De acordo com o Conselho Nacional de Justiça (CNJ), se o Supremo decidir pelo contrário, 4,9 mil presos podem ser beneficiados. Entre eles, está o ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva (PT), opositor político de Bolsonaro.

Briga de poderes
Depois que o presidente do STF, ministro Dias Toffoli, anunciou o julgamento da pauta nesta quinta (17/10/2019), foi convocada uma sessão extraordinária na Comissão de Constituição e Justiça (CCJ) da Câmara dos Deputados para a análise de uma proposta do Legislativo sobre o tema.

A relatora da PEC nº 410/18 na CCJ, deputada Caroline de Toni (PSL-SC), proferiu parecer favorável pela prisão após condenação em 2º grau, nessa quarta-feira (16/10/2019).

Encontros com ministros
O presidente Jair Bolsonaro se encontrou com três ministros do STF nessa quarta-feira (16/10/2019), véspera da votação. O porta-voz da Presidência da República, Otávio Rêgo Barros, afirmou que o chefe do Executivo optou por evitar comentários sobre as reuniões, mas esclareceu que não há relação das visitas com a análise do entendimento.

“É uma decisão pessoal do presidente comentar ou não comentar eventuais audiências. É uma audiência republicana, como todas as outras. Não há uma relação de causa e efeito entre os julgamentos que estão por vir no Supremo Tribunal Federal e essa visita dos ministros”, afirmou o porta-voz.

Últimas notícias