Carlos Bolsonaro ataca vice Mourão: “Último suspiro de vida”

O político publicou em conta oficial do Twitter a foto do que parece ser um convite feito ao vice para discursar em uma palestra nos EUA

Caio César/Câmara Municipal do Rio de JaneiroCaio César/Câmara Municipal do Rio de Janeiro

atualizado 23/04/2019 18:08

O vereador Carlos Bolsonaro (PSC-RJ), filho do presidente Jair Bolsonaro (PSL), decidiu entrar no embate entre o escritor Olavo de Carvalho e o vice-presidente Hamilton Mourão na manhã desta terça-feira (23/04/2019). Nas redes sociais, o político criticou a postura do general e disse que ele está no “último suspiro de vida”.

Carlos compartilhou um vídeo de uma entrevista de Mourão em que ele sugere ser melhor a população venezuelana não estar armada para enfrentar o presidente Nicolás Maduro. “Senão, iríamos para uma guerra civil na Venezuela que seria horrível para o hemisfério como um todo”.

O vereador aproveitou então para criticar o vice. “Quando a única coisa que lhe resta é o último suspiro de vida, surgem estas pérolas que mostram muito mais do que palavras ao vento, mas algo que já acontece há muito. O quanto querer ser livre e independente parece ser a maior crueldade para alguns”, afirmou no Twitter.

Nesta manhã, o político também publicou em conta oficial do Twitter a foto do que parece ser um convite feito a Mourão para discursar em uma palestra nos Estados Unidos. O texto aponta o vice-presidente como “uma voz de razão e moderação” da nova gestão.

De acordo com a publicação do vereador, o texto do convite traz a afirmação de que os “primeiros 100 dias do governo Bolsonaro foram marcados por paralisia política, em grande parte devido às crises sucessivas geradas pelo próprio círculo interno do presidente, se não por si próprio”.

O convite diz, ainda, que Mourão assumiu a gestão da crise na Venezuela e tem sido requisitado por outros países e pela comunidade empresarial para atuar como um interlocutor do governo.

No post, Carlos Bolsonaro diz que essa é a “tradução ‘do que parece ser’ convite ao vice-presidente para palestra nos EUA” e que, se não tivesse visto, não acreditaria que Mourão aceitou participar “com tais termos”.

Entenda a crise
O vice-presidente virou alvo do escritor, que mora nos Estados Unidos, e é considerado o guru da família Bolsonaro. Ele criticou o núcleo militar do governo, do qual Mourão faz parte. O general, então, replicou e disse que Olavo deveria se “limitar” à função de astrólogo.

Após esse comentário, Carlos saiu em defesa do escritor nas redes sociais e o classificou como “uma gigantesca referência do que vem acontecendo há tempos no Brasil”.

Mourão tem sofrido ataques de outros aliados do presidente também. Na semana passada, o deputado e pastor Marco Feliciano (PSC-SP) protocolou um pedido de impeachment contra o vice-presidente.

Últimas notícias