Campeão de viagens, ministro de Minas e Energia ficou 94 dias fora de Brasília

Bento Albuquerque gastou R$ 102.382,07 em 20 deslocamentos pelo Brasil. Somente em diárias, recebeu R$ 15.155,11

Alan Santos/PRAlan Santos/PR

atualizado 01/09/2019 13:29

O ministro de Minas e Energia, Bento Albuquerque, passou 40% do seu tempo como titular da pasta viajando. As andanças do almirante de esquadra renderam a ele a liderança do TOP 10 viagens nacionais, ranking produzido pelo Portal da Transparência. O ministro gastou, em viagens pelo Brasil, R$ 102.382,07 em 20 deslocamentos. Somente em diárias, recebeu R$ 15.155,11.

Dos 212 dias levados em consideração pela plataforma, que contabiliza o intervalo entre 1º de janeiro e 31 de julho — dado mais atualizado  —, Bento passou 94 desses ausente da Esplanada dos Ministérios. Nesse período, esteve no Rio de Janeiro (principal destino), Boa Vista, Vitória, Belo Horizonte e São Paulo.

Apesar das viagens, segundo os dados do Portal da Transparência, o ministro não passou, por exemplo, em Brumadinho (MG), cidade que ficou devastada após o rompimento de uma barragem da Vale, em 25 de janeiro deste ano. Além da poluição ambiental, a tragédia causou mais de 200 mortes.

Em fevereiro, Bento fez a viagem nacional mais cara do mandato: R$ 10.081,85. Esteve no Rio de Janeiro nos dias 21 e 22 daquele mês, uma quinta e sexta-feira, respectivamente. Reuniu-se com representantes do setor de energia renovável e participou do seminário da Agência Nacional do Petróleo, Gás Natural e Biocombustíveis (ANP).

O destino foi repetido no fim de semana de 3 a 6 de maio, entre sexta e segunda-feira, sob o custo para os cofres públicos de R$ 9.954,19. O ministro é nascido na capital fluminense. Segundo a prestação de contas, Bento participou de uma audiência no gabinete do Rio de Janeiro e da solenidade de comemoração dos 130 anos do Colégio Militar do Rio de Janeiro.

Em abril, gastou R$ 9.593,98 num trecho entre o Rio de Janeiro e o Espírito Santo. Do dia 4 a 8 daquele mês, esteve na World Nuclear Spotlight Brazil, encontro internacional do setor nuclear. O ministro participou da assinatura do acordo entre a ANP e a Petrobras sobre o Parque das Baleias, que unificou as áreas de exploração.

Nesse período, também realizou uma viagem internacional. Passou por Toronto, Washington e Houston. O governo brasileiro gastou R$ 33.579,76. Somente em diárias, foram R$ 22.561,38.

Segundo o Portal da Transparência, o titular de Minas e Energia participou da Convenção Anual da Associação de Prospectores e Desenvolvedores do Canadá, de reuniões da Cambridge Energy Research Associates e palestrou no Instituto Brasil Wilson Center.

O outro lado
Ao longo da semana, o Metrópoles tentou contrato com Bento Albuquerque. A reportagem pediu entrevista com o ministro e enviou uma série de questionamentos. Contudo, a assessoria de comunicação do Ministério de Minas e Energia não respondeu.

Em nota, a pasta informou que os eventos são públicos. “Todas as viagens realizadas são para compromissos oficiais”, resumiu. Segundo a pasta, “as agendas, assim como os releases com informações sobre os eventos, são públicos e divulgados no site do MME”. O governo não explicou se as viagens resultaram em políticas públicas para o setor.

Bento Albuquerque é carioca e tem 61 anos. Antes de chegar ao Ministério de Minas e Energia, foi diretor-geral de Desenvolvimento Nuclear e Tecnológico da Marinha. Ele iniciou a carreira militar em 1973 como oficial submarinista.

Últimas notícias