*
 

Após as suspeitas de um plano de atentado contra Jair Bolsonaro, seu aparato de segurança se multiplicou. O efetivo de 35 agentes de proteção do presidente eleito foi amentado para 55 agentes pela Polícia Federal e, para sair de sua casa, no Condomínio Vivendas da Barra, Na Barra da Tijuca, no Rio de Janeiro, Bolsonaro conta sempre com um comboio de carros blindados, o que contrasta com a tranquilidade do lugar.

No início da tarde desta sexta-feira (2/11), Bolsonaro saiu de casa, no entanto, seus assessores não informaram para onde ele iria. Ainda dentro do condomínio, o presidente eleito chegou a sair do carro e acenar para pessoas que se concentravam do lado de fora, mas rapidamente entrou no carro e o comboio saiu em direção à zona oeste da capital fluminense. Ele estava acompanhado da família.

Outra medida de segurança é relativa à divulgação da agenda de compromissos de Bolsonaro. O deputado federal e futuro ministro da Casa Civil do novo governo, Onyx Lorenzoni, disse nesta sexta-feira (2/11), que o presidente eleito não costuma divulgar sua agenda por “questões de segurança”.

Os indícios de um plano de atentado foi revelado pelo futuro ministro da defesa do governo Bolsonaro, general Augusto Heleno. O general, no entanto, não revelou quem estaria por trás do plano e nem quais as providências foram tomadas. (Com informações da Agência Estado)