Bolsonaro sobre Guedes: “Ninguém é obrigado a ficar como ministro”

O chefe da pasta de Economia afirmou em entrevista à revista Veja que vai renunciar ao cargo se Previdência virar "reforminha"

Marcos Corrêa/Presidência da RepúblicaMarcos Corrêa/Presidência da República

atualizado 24/05/2019 15:14

Em entrevista coletiva concedida nesta sexta-feira (24/05/2019), após participar da reunião do Conselho Deliberativo da Sudene, no Recife, o presidente Jair Bolsonaro (PSL) comentou sobre a entrevista do ministro da Economia, Paulo Guedes, à revista semanal Veja, na qual pontuou que deixará o governo caso a Previdência vire uma “reforminha”.

“Paulo Guedes está no direito dele. Ninguém é obrigado a ficar como ministro meu”, disparou o titular do Palácio do Planalto. E, na linha defendida por seu ministro da Economia, voltou a dizer que sem a reforma previdenciária “será o caos na economia”.

Na entrevista, Paulo Guedes foi enfático: “Se não fizermos a reforma, o Brasil pega fogo”. Vai ser o caos no setor público, tanto no governo federal como nos estados e municípios”, asseverou.

Em sua primeira viagem oficial ao Nordeste, Bolsonaro fez um apelo a governadores e prefeitos para que trabalhem pela aprovação da reforma da Previdência, alegando que a proposta é fundamental para reduzir desigualdades no país.

“Temos um desafio pela frente que não é só meu. É também dos senhores governadores e prefeitos, independentemente de questão partidária. É a reforma da Previdência, sem a qual não podemos sonhar em botar em prática algo que estamos sonhando neste momento”, ressaltou o chefe do Executivo nacional. “Tenho certeza de que todos os governadores torcem pela aprovação da reforma.”

Quando questionado sobre sua alta rejeição no Nordeste, o presidente respondeu de forma dura: “Faça uma pergunta mais inteligente”.

Últimas notícias