*
 

O presidente eleito, Jair Bolsonaro (PSL), nomeou para compor a equipe de transição um dos donos da AM4, a maior prestadora de serviços da candidatura do capitão reformado, envolvida no episódio dos disparos em massa pelo WhatsApp. Marcos Aurélio Carvalho é um dos 28 nomes que foram publicados no Diário Oficial da União nesta segunda-feira (5/11). São informações da Folha de S.Paulo.

A remuneração de Carvalho, segundo a reportagem, será de R$ 9.926,60 durante a transição governamental. Ele participou de reunião da equipe nesta segunda (5), em Brasília, com os futuros ministros da Casa Civil, Onyx Lorenzoni; da Defesa, general Augusto Heleno; e da Ciência e Tecnologia, Marcos Pontes. Procurado pelo jornal, Carvalho explicou que vai “ajudar na comunicação” da equipe e enviou nota na qual afirma que todas as ações da campanha de Bolsonaro foram regulares.

Lei Maria da Penha
Outro indicado pelo presidente eleito para integrar sua equipe de transição, o vice-presidente nacional do PSL, Julian Lemos, foi por três vezes alvo da Lei Maria da Penha, acusado de agressão pela irmã e pela ex-mulher.

Lemos foi eleito deputado federal pela Paraíba nas Eleições 2018 e atuou como coordenador da campanha de Bolsonaro no Nordeste. Ele é um dos 27 integrantes do grupo que vai recolher as informações do atual governo para, a partir disso, planejar as ações do próximo.

O dirigente partidário nega todas as acusações. Segundo ele, as representações foram motivadas por momentos de “fragilidade emocional” das familiares.