Bolsonaro é vaiado e aplaudido na festa do Brasil na Copa América

Presidente participou, no gramado, da cerimônia de entrega de medalhas e troféus aos jogadores

Wagner Meier/Getty ImagesWagner Meier/Getty Images

atualizado 07/07/2019 19:47

Em meio a vaias e aplausos, o presidente Jair Bolsonaro (PSL) participou, no palco montado no centro do gramado, da entrega da taça de campeão da Copa América à seleção brasileira. Em cerimônia realizada ao final da partida entre Brasil e Peru, na noite deste domingo (07/07/2019), no Maracanã, Rio de Janeiro, o capitão Daniel Alves ergueu o troféu. Logo depois, o presidente posou com a taça ao lado de todos os jogadores.

O presidente esteve no estádio acompanhando de ministros como Paulo Guedes, da Economia, e Sergio Moro, da Jutiça e Segurança Pública, além dois dos filhos de Bolsonaro – o deputado federal Eduardo e o senador Flávio – e pelo menos cinco deputados da base de apoio do governo.

As vaias a Bolsonaro irritaram o ministro Paulo Guedes, que, segundo informações do colunista do jornal O Globo Ancelmo Gois, saiu cuspindo fogo do túnel de acesso ao campo do Maracanã.

“Assim que a comitiva presidencial entrou no campo, uma vaia tomou conta do estádio. O ministro deu meia volta e saiu pelos corredores do Maracanã sem despedidas e com ar de pouquíssimos amigos”, escreveu o colunista.

É a segunda vez que Sergio Moro acompanha Bolsonaro a um estádio desde que ele começou a ser alvo de denúncias do site Intercept. Em 12 de junho, três dias após a primeira reportagem baseada nas conversas entre Moro e o procurador da Lava Jato Deltan Dallagnol, Moro e Bolsonaro foram ao estádio Mané Garrincha, em Brasília, para ver CSA x Flamengo, pela 9ª rodada do Campeonato Brasileiro.

Já na plateia, antes do jogo, o presidente – que é palmeirense – acenou para torcedores e levantou as mãos de Moro.

Teste de popularidade
Na última sexta-feira Bolsonaro anunciou que faria no estádio do Maracanã um teste da popularidade de Moro: “Pretendo domingo não só assistir à final do Brasil com o Peru, bem como, se for possível e a segurança me permitir, irmos ao gramado. O povo vai dizer se nós estamos certos ou não”. O ministro da Justiça não participou da cerimônia final da Copa América.

Últimas notícias