*
 

Após as críticas que permearam a decisão do presidente eleito, Jair Bolsonaro (PSL), de unir os ministérios da Agricultura e do Meio Ambiente, o militar da reserva afirmou que “pelo que tudo indica” a fusão não ocorrerá. A declaração foi dada nesta quinta-feira (1º/10), em entrevista à emissoras católicas.

Agora, o presidente eleito disse que as pastas deverão ser separadas em seu governo. “Havia uma ideia de fusão, mas pelo que parece será modificada. Pelo que tudo indica, serão dois ministérios distintos”, justificou Bolsonaro.

O deputado federal defendeu a preservação do meio ambiente e ressaltou que não quer um “xiita” para comandar o ministério. “A conservação da natureza não pode ser um obstáculo para o progresso do país”, afirmou.

De acordo com Bolsonaro, o Brasil é o país que mais protege o meio ambiente. “Nós pretendemos proteger a natureza, sim, mas não criar dificuldades para o nosso progresso”, argumentou.