Bolsonaro: pelos convidados, Brasil não vai à posse de Fernández

Nesse domingo, o presidente brasileiro cancelou a ida do ministro da Cidadania, Osmar Terra, ao país vizinho

JP Rodrigues/MetrópolesJP Rodrigues/Metrópoles

atualizado 09/12/2019 11:49

O presidente Jair Bolsonaro (sem partido) disse nesta segunda-feira (09/12/2019) que analisa a lista de convidados da cerimônia de posse do presidente argentino Alberto Fernández. Por isso, decidiu não enviar nenhum representante do governo brasileiro ao país vizinho.

“Primeiro, estou analisando a lista de convidados por parte dele [Alberto Fernández]. Quando eu assumi aqui, eu não convidei algumas autoridades”, disse o presidente na saída do Palácio da Alvorada, ao ser questionado sobre os motivos de não mandar um representante de Brasília.

Bolsonaro, no entanto, não respondeu se ainda avaliará a possibilidade de envio. De acordo com o Ministério de Relações Exteriores, o governo brasileiro será representado pelo embaixador do Brasil na Argentina, Sérgio França Danese.

O chefe do Executivo brasileiro também não deixou claro sobre qual chefe de Estado estava se referindo ao dizer que analisa a lista de convidados. No entanto, jornais argentinos noticiaram nesse domingo a chegada do presidente cubano, Miguel Díaz-Canel, ao país para participar da posse, que ocorre nesta terça-feira (10/12/2019).

Díaz-Canel exibiu nas redes sociais presença na Argentina e fez referência ao símbolo da revolução cubana, Ernesto Guevara, conhecido com Che Guevara.

“Já chegamos à amada Argentina, primeira pátria de Che, para assistir à posse de Alberto e Cristina Fernández. Viva a Latinoamerica unida”, festejou.

Bolsonaro mostrou descontentamento com o cubano. Para a posse do chefe do Palácio do Planalto, o governo brasileiro havia enviado convite para o governo de Cuba e para Nicolás Maduro, presidente da Venezuela. Bolsonaro, no entanto, pediu para que eles fossem desconvidados.

O ex-presidente do país caribenho, Raul Casto, que é irmão de Fidel Castro, também estará na posse. Atualmente, Raul Castro preside o Partido Comunista Cubano.

Maduro também não foi convidado para a posse de Fernández. Da mesma forma, estão fora da lista a presidente autodeclarada da Venezuela, Jeanine Añez, que havia sido convidada por Bolsonaro para o encontro da cúpula do Mercosul, ocorrido na semana passada, no Rio Grande do Sul. Também não foi convidado o presidente do Irã, Hassan Rohani.

Lula e Dilma
Também foram convidados os ex-presidentes brasileiros Luiz Inácio Lula da Silva e Dilma Rousseff. Lula agradeceu o convite, mas disse que não poderá comparecer. A ex-presidente Dilma é presença confirmada.

A China será representada pela vice-presidente do Comitê Permanente da Assembleia Popular Nacional, Arken Imirbaki, terceiro na linha de sucessão de Xi Jinping. O presidente dos Estados Unidos, Donald Trump, enviará o secretário de Saúde, Alex Azar.

Do Uruguai, o presidente eleito Luis Lacalle Pou também comparecerá. Além dele, a vice-presidente do país, Lucia Topolansky representará o governo. O presidente Tabaré Vázquez não deve comparecer por motivos de saúde.

Também estão confirmadas as presenças do presidente do Paraguai, Abdo Benítez, e do Chile, e Sebastián Piñera.

Últimas notícias