*
 

Nesta quarta-feira (7/11), o presidente eleito, Jair Bolsonaro (PSL), disse que a falta de experiência e vivência política atrapalham o ministro da Economia, Paulo Guedes, em suas declarações. A afirmação ocorreu após o futuro titular da pasta dizer que pediria uma “prensa” no Congresso para aprovar a reforma da Previdência ainda em 2018.

“Ele [Paulo Guedes] usou, no meu entender, bem intencionado, a palavra prensa. Ninguém vai pressionar o parlamentar, nós vamos é convencê-lo”, disse Bolsonaro após tomar café da manhã com o alto escalão da Aeronáutica.

Nesta quinta, Bolsonaro vai conversar com parlamentares sobre a reforma da Previdência. “Alguns deles me disseram que têm propostas via lei ordinária ou lei complementar que dá (sic) para um avanço. Nós queremos é votar alguma coisa no corrente ano”, assegurou Bolsonaro.

Não tem prensa. O que acontece com alguns do meu lado é que não têm a vivência política. Eu, apesar de ter, levo, tantas vezes, cascudo de vocês. Imagina quem não tem essa experiência"
Jair Bolsonaro sobre a fala de Paulo Guedes

Na terça-feira (6), o futuro ministro da Economia defendeu que o governo precisa dar uma “prensa” no Congresso Nacional a fim de que o atual texto da reforma da Previdência seja apreciado até o fim deste ano. Caso a proposta de Michel Temer não seja aprovada, caberá ao presidente eleito trabalhar com uma “reforma diferente” no próximo ano, afirmou Guedes. As informações são do jornal O Globo.

“O presidente tem os votos populares e o Congresso, a capacidade de aprovar ou não. A bola está com eles. Prensa neles. Se você perguntar para o futuro ministro, ele está dizendo o seguinte: ‘prensa neles’”, declarou. “Pede a reforma, pede a reforma. É bom para todo mundo”, completou Guedes, antes de se reunir com o atual ministro da Fazenda, Eduardo Guardia.

Reunião
O secretário de Previdência Social, do Ministério da Fazenda, Marcelo Caetano, tem reunião marcada com a equipe de transição da área econômica do futuro governo. Liderada por Paulo Guedes, a equipe vai debater ajustes que podem ser feitos na proposta de reforma da Previdência que tramita na Câmara dos Deputados. O encontro será no CCBB.

A proposta da reforma, inclusive, já passou pela comissão especial e aguarda votação em primeiro turno no plenário da Câmara. O governo Temer defende a manutenção do atual texto da reforma.