*
 

Mesmo sem tomar posse como nova ministra do Trabalho, a deputada Cristiane Brasil (PTB-RJ) já acumula polêmicas. A mais recente é que a dívida trabalhista da parlamentar com um antigo funcionário foi quitada por uma assessora ligada à política. As informações são do jornal O Globo.

Leonardo Eugênio de Almeida Moreira recorreu à Justiça após afirmar ter trabalhado por um ano e meio como motorista da família, sem registro na carteira de trabalho. Apesar de não reconhecer a formalidade da prestação do serviço, Cristiane aceitou fazer um acordo para pagar R$ 14 mil de indenização ao motorista em 10 parcelas.

Do total, nove das 10 parcelas de R$ 1,4 mil foram quitadas por Vera Lúcia de Azevedo, funcionária de Cristiane Brasil na Câmara dos Deputados. A assessora está lotada no gabinete da parlamentar desde fevereiro de 2015 e recebe salário de R$ 10,8 mil.

Segundo a reportagem, a assessora representou a deputada na reclamação trabalhista como preposta, já que a futura ministra do Trabalho não compareceu às audiências na Justiça do Trabalho. Cristiane Brasil afirmou que os pagamentos foram feitos pela assessora por uma “questão de praticidade”.

Cristiane Brasil foi condenada a pagar R$ 60 mil em ação movida por outro motorista. Mesmo com três ordens de penhora decretadas, ela ainda deve cerca de R$ 26 mil. A Justiça, no entanto, não encontra o dinheiro nas contas da parlamentar.

Apesar de já ter a indicação referendada pelo Partido Trabalhista Brasileiro (PTB), a posse oficial da nova ministra do Trabalho deve ocorrer na próxima terça-feira (9/1), no Palácio do Planalto.