Após vídeo, PT quer processar e pedir exame de sanidade de Bolsonaro

Para o líder do partido, o presidente demonstrou descontrole e despreparo por ter virado tema de protestos no Carnaval

Renato Araújo/Câmara dos DeputadosRenato Araújo/Câmara dos Deputados

atualizado 06/03/2019 14:39

O deputado federal Paulo Teixeira (PT-SP) informou, por meio de sua conta no Twitter, que entrará com uma representação contra o presidente Jair Bolsonaro (PSL), com base na Lei nº 13.718, recentemente aprovada no Congresso, que tipifica, entre outras coisas, o crime de importunação sexual. A reclamação é que o presidente teria ferido a lei ao divulgar, por meio da rede social, um vídeo com imagens de dois homens em cenas obscenas.

“Vamos representar Jair Bolsonaro pelo vídeo que postou. A Lei nº 13.718, recentemente aprovada, tipifica o crime de divulgação, sem o consentimento da vítima, de cena de sexo, nudez ou pornografia”, disse o deputado.

Já o líder do partido, deputado Paulo Pimenta (PT-RS),’ disse que vai averiguar a possibilidade de entrar com um pedido para que o presidente seja submetido a um teste de sanidade mental, a exemplo do que o partido Democrata norte-americano tenta pedir em relação ao presidente Donald Trump.

“Vamos ver se cabe um pedido desses. O que vemos por parte dele é um comportamento inadequado, pinçando uma cena, sem identificar onde ocorreu, e generalizando, atacando assim a principal festa popular do país, que atrai milhares de turistas, uma marca do país”, destacou o líder.

“Tudo isso por inconformidade por ter virado tema de Carnaval. O que ele esperava? Achou que ia ter hordas de paneleiros de verde e amarelo homenageando ele?”, completou Pimenta.

A postagem de Bolsonaro causou polêmica entre políticos nas redes. Muitos consideraram que a postagem é incompatível com o cargo que ele ocupa. Nesta quarta-feira (6/3), o capitão da reserva voltou a suscitar o tema do vídeo ao questionar, também no Twitter, o que é golden shower.

A pergunta do presidente ocorreu após a hashtag “#goldenshowerpresident” entrar nos assuntos do momento da rede social. A pergunta provocou mais reação de políticos, principalmente do campo de esquerda.

A deputada Jandira Feghali (PCdoB-RJ) aproveitou e respondeu lembrando as suspeitas envolvendo o senador Flávio Bolsonaro (PSL-RJ), filho do presidente, e os repasses feitos pelo ex-motorista do parlamentar, Fabrício Queiroz, à família de Bolsonaro.

“É quando um ex-motorista de um senador eleito movimenta milhões e chega a depositar um cheque na conta da primeira dama”, respondeu a deputada no Twitter.

O senador Randolfe Rodrigues (Rede-AP) também lembrou as suspeitas que pairam sobre Bolsonaro e sua família para responder ao presidente. Na definição do senador, “golden shower” significa o “chuveiro de ouro na conta corrente da família Bolsonaro”. Veja:

Presidente @jairbolsonaro,“golden shower” poderia descrever o fenômeno por meio do qual um filho seu contrata vários servidores-fantasmas, movimenta R$ 7 milhões em 3 anos e deposita R$ 24 mil na conta da primeira-dama: é “chuveiro de ouro” na conta corrente da família Bolsonaro!

O senador já havia criticado a postagem de Bolsonaro e levantado dúvidas sobre a sanidade mental do presidente. Na opinião do senador, a conduta é incompatível com o decoro do cargo e indica “desequilíbrio” psicológico.

Últimas notícias