Aliados criam campanha pró-Weintraub para abafar críticas ao Enem

Irmão do ministro, que é servidor comissionado, e filhos de Bolsonaro comandam os elogios nas redes

Reprodução/Redes SociaisReprodução/Redes Sociais

atualizado 30/01/2020 6:57

A liberação dos resultados do Sistema de Seleção Unificada (Sisu) na Justiça após duas derrotas não estancou as críticas relacionadas aos problemas na correção do Exame Nacional do Ensino Médio (Enem), a maioria direcionadas ao ministro da Educação, Abraham Weintraub. Numa tentativa de reduzir a pressão em cima do gestor, que antes da revelação dos erros havia classificado o Enem de 2019 como “o melhor de todos os tempos”, um grupo de aliados que reúne influenciadores digitais, servidores comissionados e dois dos filhos do presidente Jair Bolsonaro está coordenando uma campanha de elogios a ele nas redes sociais.

O resultado foi uma guerra de hashtags que toma conta dos chamados “Trending Topics” do Twitter desde as primeiras horas dessa quarta-feira (29/01/2020). Hashtags como #FicaWeintraub e #BolsonaroSalvouOBrasil foram usadas por esse grupo para se contrapor a menções críticas, como #DemiteWeintraubJa e #ErrosNoSisu.

O serviço de consultoria política e análise de dados Metapolítica fez um monitoramento desse movimento ao longo da quarta-feira e revelou que o esforço de defesa do ministro conseguiu mobilizar a maioria das menções sobre o assunto. A #FicaWeintraub apareceu, segundo a consultoria, em 68,65% das mensagens relacionadas ao Enem na rede social. Já a hashtag crítica de maior alcance foi #ErrosnaListadeEspera, com alcance de 18,88%.

“Observamos na coleta de dados que os principais promotores da defesa do ministro foram os perfis ligados ao olavismo”, explica o sociólogo Arthur Ives, um dos analistas do Metapolítica, se referindo aos seguidores do escritor Olavo de Carvalho, espécie de guru da ala mais ideológica do governo Bolsonaro.

Veja exemplos das postagens:

Um dos defensores mais ferrenhos de Abraham Weintraub tem sido seu irmão, Arthur, que ocupa o cargo público de assessor especial da Presidência da República. Desde a segunda-feira (27/01/2020), Arthur fez 22 postagens originais e repostagens de aliados, todas dedicadas a defender o irmão ministro. Ele chegou a comparar o último Enem com outros, tentando relativizar os problemas. Veja:

Outro perfil que se dedicou a lembrar de ações positivas relacionadas à educação foi o de Carlos Bolsonaro. O vereador pelo Rio de Janeiro, filho “02” do presidente Jair Bolsonaro, chegou a colocar uma postagem em defesa de Weintraub como tuíte destacado em sua conta, postagem que aparece sempre em primeiro lugar na linha do tempo.

O deputado federal Eduardo Bolsonaro (PSL-SP) também se dedicou à campanha, mas uma ausência nesse movimento chamou a atenção: os perfis do presidente não tocaram no assunto e a última manifestação de Bolsonaro sobre o tema não foi de apoio irrestrito ao ministro:

“Enem tá complicado. Eu tô conversando com ele [Weintraub], tá? Para ver se foi alguma falha nossa, falha humana, sabotagem, seja lá o que for. Temos que chegar no final da linha e apurar isso daí. Não pode acontecer isso”, disse Bolsonaro, nessa terça-feira (28/01/2020).

Outro lado da moeda
Alheios à campanha de elogios ou respondendo a ela, perfis críticos ao ministro Weintraub continuaram repercutindo reclamações relacionadas ao Enem. Um exemplo foi um pedido do Ministério Público Federal no Distrito Federal ao Ministério da Educação para que esclareça possíveis falhas na oferta de vagas a portadores de necessidades especiais (PNEs) no Sisu.

Um dos perfis de maior destaque nessa contracampanha foi o da deputada federal Tábata Amaral (PDT-SP), que tem atuação crítica ao governo e focada em questões de educação. Veja:

Últimas notícias