Polícia soluciona caso antigo de estupro com ajuda de exame de DNA

Morador de rua foi preso por estupro de 2020 em Goiânia, mas material genético comprovou outro caso de crime igual praticado por ele em 2013

atualizado 14/10/2021 8:51

Estupro Goiás DNAPCGO

Goiânia – A Polícia Civil de Goiás conseguiu solucionar um caso antigo de estupro com ajuda de exame de DNA. Um homem em situação de rua, que não teve o nome divulgado, havia sido preso por um estupro cometido em 2020, mas a comparação do material genético dele com outros de um banco de dados, comprovou que ele também estuprou uma vítima em 2013.

De acordo com a Polícia Civil, o homem chamava as mulheres para usar drogas e violentava sexualmente as vítimas, usando uma faca. Ele já foi preso várias vezes por outros crimes como roubo, receptação e ameaça.

Atualmente ele estava preso por um estupro que teria cometido em 2020. A Polícia Científica fez então um trabalho pericial com o material genético do suspeito, que confirmou não só o caso do ano passado, mas um outro estupro de 13 de maio de 2013.

A vítima desse caso mais antigo foi violentada na região do Morro do Macaco, em Goiânia. Nos dois casos, o morador de rua usou uma arma branca para estuprar. Ele nega o crime e diz que as relações eram consensuais.

O caso foi esclarecido pelo Grupo Estadual de Repressão a Estupros (Gere), que faz parte da Polícia Civil. A vítima do caso de 2013 foi informada da solução do caso e concordou em continuar com o processo.

Apesar de ter decidido divulgar a imagem do suspeito, a Polícia Civil achar por bem não informar o nome do preso. De toda maneira, a corporação explicou que a divulgação da imagem do homem é no sentido de que novas vítimas possam identificá-lo.

Últimas notícias