Mulher que pulou de prédio ao fugir de estupro recebe alta em Goiás

A cabeleireira Juliane Lacerda começará tratamento com fisioterapia para recuperar os movimentos das pernas

atualizado 11/02/2021 14:41

Mulher pula de prédio para fugir de estuproReprodução

Goiânia – Recebeu alta médica nesta quinta-feira (11/2), a cabeleireira Juliana Lacerda, de 36 anos, vítima de uma tentativa de estupro no último dia 29/1, em Goiânia. A mulher pulou do primeiro andar de um prédio para fugir do criminoso.

Temporariamente, Juliane ficou sem sentir os movimentos das pernas, já que, com a queda, ela fraturou a 1ª vértebra lombar e os dois calcanhares. Após duas cirurgias, uma na coluna e outra no calcanhar direito, realizada na quarta-feira (10/2), ela consegue mexer a perna operada.

“O meu médico não pode garantir que eu vou voltar a andar normalmente. Ele (o médico) disse que isso leva tempo e muita fisioterapia, que é o meu próximo passo. Eu só espero que esse homem seja preso e a justiça seja feita. Antes eu trabalhava, sempre me virei sozinha, agora estou em uma cadeira de rodas”, disse Juliane, em entrevista ao Metrópoles.

De acordo com a cabeleireira, que ficou internada no Hospital de Urgências de Goiânia (HUGO), ela deve receber encaminhamento para o Centro Estadual de Reabilitação e Reabilitação Dr. Henrique Santillo (CRER), onde deve dar início ao tratamento de fisioterapia.

 

 

 

 

Assalto e queda

No dia do ocorrido, a cabeleireira e uma funcionária estavam trabalhando no salão, no Setor Parque Oeste Industrial, região oeste de Goiânia. Pouco antes das 11h, um homem usando capuz, máscara e óculos chegou anunciando o assalto.

Depois de pegar dinheiro do caixa e os aparelhos de celular dela e da funcionária, ele ordenou que elas tirassem as roupas e subissem para o primeiro andar do prédio. Quando chegou lá, Juliane percebeu que a porta da sacada estava aberta e decidiu pular. Ao cair, ela começou a gritar por socorro.

A funcionária que ficou com o assaltante no interior do prédio diz que ele se assustou ao perceber que Juliane tinha escapado. Ele correu, pegou uma bicicleta e fugiu. Durante a fuga, ele se atrapalhou e deixou cair os celulares das duas e o dele também.

Imagens registradas por câmeras de circuito externo do local da tentativa de estupro mostram o momento em que ela caiu, depois de pular da sacada. Ela já permaneceu sentada, depois do impacto que sentiu nas pernas ao tocar o chão. Logo após, o criminoso sai de bicicleta.

 

Casos semelhantes

O caso está sendo investigado pela Delegacia Especializada no Atendimento à Mulher (Deam) da Polícia Civil de Goiás. Infelizmente, casos semelhantes de violência contra a mulher não são raros. No início deste ano, em Caldas Novas, a polícia investigou a suspeita de um estupro coletivo contra uma mulher de 44 anos. Já na capital goiana, no final do ano passado, uma adolescente de 16 anos foi estuprada próximo à BR-153.

Mais lidas
Últimas notícias