Polícia investiga médico que adiou ida de Bruno Krupp para a prisão

Modelo que atropelou adolescente no Rio foi considerado apto a transferência para hospital penitenciário, mas médico particular pediu UTI

atualizado 06/08/2022 17:46

Bruno Krupp, modelo e influenciador - MetrópolesReprodução

Um médico contratado pela família do modelo Bruno Krupp se tornou investigado em um inquérito para apurar fraude processual e falsidade ideológica. O profissional recomendou a internação do homem de 25 anos na UTI após a equipe médica do hospital onde ele está internado, no Rio de Janeiro, ter informado à polícia, em parecer, que ele estava estável e já poderia ser transferido para um hospital penitenciário.

O modelo está internado em um hospital particular, mas sob custódia policial, que espera a alta para levá-lo ao sistema prisional. Ele é alvo de inquérito que o investiga por homicídio com dolo eventual pelo atropelamento do adolescente João Gabriel Cardim Guimarães, de 16 anos, no sábado da semana passada (30/7), na Barra da Tijuca, zona oeste do Rio.

A moto pilotada por Bruno estava, segundo testemunhas, a 150km/h, em uma via cujo o limite é de 60 km/h. Veja imagens:

 

Krupp foi internado inicialmente no Hospital Lourenço Jorge, também na Barra, teve alta e foi transferido para o Hospital Marcos Moraes no último domingo (31/7), após ter alta do Lourenço Jorge.

Publicidade do parceiro Metrópoles
0

Nesse hospital particular, foi considerado apto a ser transferido na última sexta (5/8), mas então o médico contratado pela família, Bruno Nogueira Teixeira, alegou que o modelo teve problemas renais e precisou ser transferido para uma Unidade de Terapia Intensiva.

“O rim do Bruno paralisou, ele vai ter que fazer hemodiálise, tem ferida necrosada em cima do rim, ele está lutando para sobreviver, não tem condições de ficar no quarto, tinha que ir para a UTI”, disse William Pena, advogado do modelo, ao portal O Dia.

O médico ainda não se manifestou. Ele é alvo de inquérito aberto na 16ª Delegacia de Polícia (Barra da Tijuca), a mesma que investiga Bruno Krupp. Para a polícia, ele terá de justificar a transferência do modelo para a UTI.

Mais lidas
Últimas notícias