Polícia Federal recupera peças arqueológicas estrangeiras no Rio

Obras de arte possuiriam origem anterior ao século XVI e seriam fruto da cultura dos ameríndios

atualizado 12/02/2021 8:46

Peças arqueológicas apreendidas no RioPolícia Federal/Divulgação

Rio de Janeiro – A Polícia Federal recuperou três peças arqueológicas – uma delas pertenceria a Colômbia e as outras duas ao Equador –, no Rio de Janeiro, na manhã desta sexta-feira (12/2).

As peças possuiriam origem anterior ao século XVI e seriam fruto da cultura dos ameríndios. O Instituto do Patrimônio Histórico e Artístico Nacional (Iphan) identificou que as obras recuperadas foram ofertadas em um leilão de artes no Rio de Janeiro em 2020.

A PF foi acionada, investigou e encontrou os compradores e vendedores do leilão. As obras apreendidas vão para a perícia a fim de comprovação da origem.

As embaixadas colombiana e equatoriana declararam o interesse na devolução das obras que integrariam o patrimônio cultural e arqueológico dos seus países.

Os bens arqueológicos são proibidos de serem comercializados por serem patrimônio nacional dos Estados. No entanto, isso não impede o saque dos sítios arqueológicos e o tráfico desse tipo de objeto para formação de coleção particulares.

Últimas notícias